Dia dos Namorados: primeira data comercial pós-flexibilização 

Em Prudente, enquanto comerciantes se animam com o retorno aos trabalhos, representantes do setor veem a data com cautela, pois restrições da reabertura podem atrapalhar vendas

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 06/06/2020
Horário 07:18
Foto: Cedida - Na loja O Boticário, estoque é menor que no ano passado, mas o suficiente para este contexto Foto: Foto: Cedida - Na loja O Boticário, estoque é menor que no ano passado, mas o suficiente para este contexto

 

A primeira importante data de vendas para o comércio, pós-flexibilização das atividades, está chegando. O Dia dos Namorados, na próxima sexta-feira, 12 de junho, serve como um possível empurrão na retomada econômica deste setor, que é destaque na economia de Presidente Prudente. As expectativas de representantes da classe, entretanto, não são tão positivas, pois veem nas restrições que ainda existem dificultadores do sucesso de vendas.

O presidente da Acipp (Associação Comercial e Empresarial de Presidente Prudente), Ricardo Anderson Ribeiro, afirma que as restrições de horário, aquelas que obrigam todos os comércios não essenciais a abrirem durante seis horas ininterruptas ao dia (em Prudente das 10h às 16h), é o principal entrave, visto que os segmentos que trabalham com possíveis presentes se beneficiam muito dos namorados atrasados e esquecidos, especialmente após o fim do expediente da maior parte dos trabalhadores, depois das 18h.

“Você tem que trabalhar datas especiais, apresentar condições especiais. Estudamos a possibilidade de um ou dois dias estender o horário do comércio para que as pessoas tenham mais tempo de procurar o presente”, ressalta Ricardo, ao afirmar ter encontros agendados com representantes do poder público para apresentar a proposta. Segundo ele, o problema maior são as aglomerações que a data pode causar nas portas de lojas e a ampliação do horário de atendimento reduziria, inclusive, essa ocorrência.

VOCÊ TEM QUE TRABALHAR DATAS ESPECIAIS, APRESENTAR CONDIÇÕES ESPECIAIS. ESTUDAMOS A POSSIBILIDADE DE UM OU DOIS DIAS ESTENDER O HORÁRIO DO COMÉRCIO PARA QUE AS PESSOAS TENHAM MAIS TEMPO DE PROCURAR O PRESENTE

Ricardo Anderson Ribeiro

Já o presidente do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Presidente Prudente e Região), Vitalino Crellis, é ainda mais pessimista em sua visão. Ele afirma que o Dia dos Namorados nunca foi um ótimo dia de vendas, ficando entre a quarta e quinta posição entre os dias festivos e, em contexto de pandemia, será “ainda pior”. “Não vejo condições nem de fazer grandes campanhas para o Dia dos Namorados, pois não é a hora de chamar o público para o centro, é preciso evitar aglomerações. As pessoas continuam comprando só o necessário”, enfatiza. Cabe lembrar que a capacidade de atendimento das lojas, por decreto, foi reduzida a 40% do total na capital da região.

De qualquer forma, ele comemora a reabertura, como fôlego aos comerciantes, que desde março estavam de portas fechadas, e prevê uma importante recuperação até o Dia dos Pais, quando projeta campanhas e promoções.

Expectativa dos comerciantes

A gerente da perfumaria e cosméticos O Boticário, no centro de Presidente Prudente, Dayse Macedo, 34 anos, afirma que a data, com troca de presentes entre os namorados, dá um fôlego ao comércio. Mesmo tendo trabalhado nos últimos meses com delivery de produtos, ela afirma que com a loja aberta “é outra coisa”.

Conforme Dayse, as vendas já começaram, pois muitos namorados e namoradas estão se antecipando. Sobre o estoque que possui, ela fala: “Não teria como fazer a mesma compra do ano passado, mas o que tem dá para suprir a demanda e não gerar prejuízo. Estamos com o pé no chão”.

Também no setor de modas e vestuário, as esperanças das boas vendas são altas. De acordo com a sócia-proprietária da Dany Modas, Aparecida de Freitas Vieira, 63 anos, o principal fator que impulsiona as compras é o frio e justamente por isso a loja tem se dedicado a adquirir peças de inverno. “Acredito que esse fim de semana e o próximo serão bons, e tem que ser! ”, destaca Aparecida.

A empresária não deixa de falar da alegria de voltar aos trabalhos, mesmo com as restrições necessárias, e agradece aos clientes que têm entendido muito bem todas as regras deste “novo normal”.

SAIBA MAIS

Filas marcam primeiro dia de reabertura do comércio

Reabertura gradual do comércio gera preocupação

Por meio de decreto, PP autoriza retomada consciente do comércio

Região de Prudente está na fase 3 da flexibilização

Publicidade
eixosp

Veja também