INQUÉRITO

Acusado de homicídio em Epitácio se entrega à polícia

Homem de 27 anos confessou ter matado o pedreiro Flávio Figueiredo da Silva, 26 anos, por motivos de ciúmes; ele chegou a ferir o pescoço da ex-namorada com uma faca

  • 26/06/2019 17:08
  • ROBERTO KAWASAKI - Da Redação

Está detido na Cadeia Pública de Presidente Venceslau, o homem de 27 anos investigado pela morte do pedreiro Flávio Figueiredo da Silva, 26 anos, ocorrida na manhã de domingo, em Presidente Epitácio. Conforme a Polícia Civil, na terça-feira, o indivíduo compareceu à Delegacia de Polícia Civil acompanhado do pai, depois de ter ficado escondido e uma área de matagal na cidade. A suspeita é de que o crime tenha sido causado por ciúmes.

De acordo com o delegado Renato Pinheiro, apurou-se que na noite de sábado, o acusado encontrou a ex-namorada em uma festa, onde conversaram sobre a possibilidade de reatar o relacionamento, o que foi recusado por ela. Conforme a investigação, há algum tempo o autor soube que a mulher e Flávio estariam tendo um relacionamento amoroso, o que causou ciúmes e a fúria.

Crime premeditado

Na madrugada de domingo, o homem teria ido à residência dela, onde também mora a filha do casal, e afirmou que iria matar o suposto namorado. Desconfiando da atitude do acusado, pediu para que ele fosse embora. Segundo a Polícia Civil, o homem foi à residência de Flávio e o chamou para conversar, no entanto, a polícia desconfia de que ele já tenha ido com a intenção de cometer o crime.

O dia já havia amanhecido. Na residência, Flávio Figueiredo da Silva foi atingido com diversos golpes de faca do lado de fora da casa. Depois de cometer o crime, o investigado retornou à casa da ex-namorada e tentou matá-la. Enquanto ela dormia, ele entrou na casa, passou a faca no pescoço dela e fugiu. Quando foi para a casa dele, colocou fogo no imóvel e depois não foi mais visto.

“Ele alega que matou o Flávio em legítima defesa, porque ele teria pegado uma vassoura e batido na mão dele. Para se defender, disse que pegou uma faca que estava no local e desferiu os golpes”, relata o delegado responsável pelo caso. Conforme a autoridade, o investigado não tem passagem criminal. A partir de agora, as oitivas continuam a fim de elucidar o crime. A faca utilizada pelo autor não foi encontrada.