Cuidar da saúde também “é coisa de homem”

  • 03/11/2019 04:05

Quem inventou a sistemática de atrelar cores a meses e, assim, promover campanhas educacionais, como o próprio Setembro Amarelo, destinado à prevenção ao suicídio, o Abril Azul, de conscientização do autismo e o Outubro Rosa, de prevenção ao câncer de mama - terminado recentemente -, teve uma brilhante ideia. E seguindo isso, chegamos ao Novembro Azul, iniciado na sexta-feira, fazendo alusão aos cuidados da saúde do homem, especificamente em relação à prevenção e diagnóstico precoce do câncer de próstata.

E em tempos no qual a masculinidade frágil está em ascensão, é necessário falar: cuidar da saúde também é coisa de homem. Ou melhor, cuidar da saúde é um dever de todos. A preocupação em descobrir e tratar uma doença séria, que é o câncer de próstata, deve estar à frente ao procedimento utilizado, que nada tem a ver com preferências pessoais, mas sim com precisão e cuidados médicos. Até porque, a doença oncológica é segunda causa de morte por câncer que mais afeta o público masculino, perdendo apenas para o câncer de pele.

Mas embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento, muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto. De acordo com o Ministério da Saúde, por exemplo, as estimativas apontam 68.220 novos casos em 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens. Ou seja, é preciso fala sobre, é preciso fazer o exame e é preciso diagnosticar e tratar.

Na edição de ontem, em outro exemplo, trouxemos a história do José Antônio Salas Molina, que em meio à abertura da campanha Novembro Azul 2019, promovida pelo HRCPP (Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente), falou sobre a cura que conseguiu mediante a doença, mas por ter detectado a patologia precocemente. Isso sem contar que, anteriormente, ele já tinha vencido outro câncer, mas acarretado no rim.

Então, mais que promover um mês temático, que sem dúvidas é essencial, é preciso reforçar durante todo o ano que cuidar da saúde é importante, sem ter medo e vergonha, e seguir exemplos como o do senhor José Antônio. A preservação da vida deve estar à frente, nesse momento.