Fora do Paulista Feminino, Venceslau pensa no futuro

 14/11/2017  - THIAGO MORELLO - Da Redação

A A A

Na melhor de três, ou a famosa “nega ou neguinha”, o Basquete Venceslau não foi feliz nos resultados e voltou para casa em sua última viagem, sem muito o que comemorar. No último sábado, o time disputou a vaga para a final do Campeonato Paulista da Divisão Especial Feminina contra o São José, em São José dos Campos (SP), perdeu a terceira partida e deu adeus. Fora da competição, o rumo agora é outro e o pensamento já está no futuro. Na manhã de hoje, a diretoria do time realizará uma reunião com toda a associação, para decidir quais os próximos passos a serem dados.

Aliás, de volta a Presidente Venceslau, o técnico do time, Flávio Prado, declara que um encontro já foi realizado, porém, nada foi definido ainda. “Nos próximos dias teremos uma condição melhor de dizer qual será o futuro de tudo e a programação. Por enquanto, temos que conversar entre nós e entender qual a melhor situação a seguir”, explica.

Mas se águas ainda vão rolar, as que já passaram tem gosto de esforço. Apesar de não chegarem à final da competição, Flávio Prado lembra do desempenho das meninas dentro de quadra, o que fomentou para que chegassem onde chegaram. À reportagem, sobre o último jogo, ele deixa explícito que houve erros a serem corrigidos. “Foi um jogo bem disputado, pois, como podemos ver, decidido só na prorrogação. A gente pode dizer que deu certo as situações defensivas, porém, infelizmente, continuamos a cometer muito erros e isso condenou o jogo”, completa.

E não foi nada fácil mesmo. No primeiro período, o adversário fechou a parcial em vantagem, no placar de 21 a 12, seguido de 36 a 20 no segundo. Contudo, a equipe venceslauense conseguiu dominar os últimos dois tempos e encostar no São José, ao empatar o jogo em 55 a 55, levando à prorrogação. Repetindo a dose do segundo jogo entre as equipes, o time da casa mostrou presença e finalizou o confronto em 65 a 58, garantindo seu lugar na final e eliminando a equipe regional.

 

“Em meio às lesões, queda no rendimento e entre outros, não posso deixar de comentar o quanto essas meninas se doaram dento de quadra e se esforçaram para dar o melhor”

Flávio Prado

técnico

 

Desfalque

Entre erros e acertos, um dos motivos ressaltados pelo técnico, que pode ter condenado o confronto, foi a baixa na equipe. Como já noticiado, a atleta Karen Gustavo não foi escalada, pois lesionou o joelho no primeiro jogo entre as equipes, em Venceslau. Além disso, Flávio Prado lembra que Bárbara Souza entrou em quadra mesmo machucada.

No último jogo, Jeane Morais, com 17 pontos, 10 rebotes, quatro bolas recuperadas e uma assistência, foi o grande destaque na partida, assim como no segundo jogo. Mas, como dito pelo treinador, nada é feito sozinho. “Somos uma equipe e o trabalho é destacado em igual, por todas. Em meio às lesões, queda no rendimento e entre outros, não posso deixar de comentar o quanto essas meninas se doaram dentro de quadra e se esforçaram para dar o melhor”, conclui.

Comentário