Furtos de fios em ginásio força FCT/Unesp a suspender projetos

Após retirada da 600 metros da fiação elétrica do campus da universidade em Presidente Prudente, espaço de atividades práticas de educação física deixou de promover atendimentos

IVE CAROLINE - Da Redação • 13/01/2018 12:21:12

Um espaço voltado à saúde e prática de atividades físicas, utilizado por cerca de 450 pessoas, entre estudantes e acadêmicos de Educação Física, responsáveis por desenvolver projetos que atendem de 410 participantes. Este é o papel do ginásio ASA (Associação de Servidores Administrativos) da Unesp (Universidade Estadual Paulista), de Presidente Prudente. Porém, a realidade do local mudou após furtos de 600 metros de fios elétricos, que corromperam toda a energia do local, de acordo com o professor do curso de Educação Física e um dos orientadores dos projetos realizados, Luis Alberto Gobbo, e ocasionou a paralização de toda a utilização do espaço.

“No ASA, nós oferecíamos atividades físicas para idosos, mulheres que estão em tratamento medicamentoso pós câncer de mama e crianças com obesidade, além de disponibilizar o uso para exercícios para toda a comunidade acadêmica da Unesp, entre alunos e professores, e oferecer conhecimentos práticos aos estudantes de Educação Física. Muitas pessoas necessitam destes trabalhos que desenvolvemos e nós não queremos depreciar todo o sacrifício que tivemos para levantar aquele espaço”, pontua o professor.

De acordo com Luis Gobbo, além dos fios elétricos, anteriormente, duas bicicletas e uma televisão também foram furtados do local e, apesar dos auxílios que a universidade disponibiliza, o ajuste de toda a fiação e disjuntores roubados exige um custeio acima da média, e o professor pede apoio de iniciativas privadas para reativar o espaço.

“Estávamos trabalhando no ASA há três anos. Desde então, nunca tivemos diminuição de alunos para serem atendidos pelos nossos projetos. Pelo contrário, sempre estivemos em constante crescente. Lá, contamos com aparelhos aeróbicos e de musculação, além de um tatame em que desenvolvíamos treinos funcionais e de artes marciais. Porém, com estes prejuízos, nada mais pôde ter continuidade. Precisamos do sistema elétrico do ginásio e, para uma maior segurança, levantar um muro com cerca de 230 metros de perímetro”, finaliza.

 

Muitas pessoas necessitam destes trabalhos que desenvolvemos e nós não queremos depreciar todo o sacrifício que tivemos para levantar aquele espaço

Luis Alberto Gobbo,

professor da UNESP

 

Relembre o caso

Como noticiado anteriormente em O Imparcial, no dia 4 de janeiro, dois homens foram presos em flagrante ao tentarem roubar fios elétricos da quadra poliesportiva da Unesp (Universidade Estadual Paulista), em Presidente Prudente. Segundo a Polícia Militar, os acusados foram abordados após uma denúncia, por volta das 6h30, e carregavam o material roubado em uma carriola ainda dentro do campus. Segundo a corporação, os dois indivíduos foram questionados e afirmaram ter achado os fios jogados, sem provável utilidade.

Ao verificar a procedência, a PM foi informada por um dos seguranças do campus de que o portão da quadra havia sido arrombado e que todos os fios da parte interna haviam sido retirados de lá, além dos disjuntores.

Estilo do Site
  • Luz
  • Alto Contraste