Cedida/Vilma Castro - Grupo Escoteiros Monte Carmelo, de PP, durante atividade que exigiu trabalho em grupo

Foto: Cedida/Vilma Castro - Grupo Escoteiros Monte Carmelo, de PP, durante atividade que exigiu trabalho em grupo

MOMENTO DE REFLEXÃO

Grupos comemoram Dia Mundial do Escoteiro

  • 23/04/2019 10:00
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

O jovem de 18 anos, Enzo Bucchi, entrou no movimento dos escoteiros quando tinha 10 anos, em um interesse que surgiu a partir do incentivo de um amigo, que já era membro do Grupo Guayporé, em Presidente Prudente, e da curiosidade para conhecer as atividades que eram desenvolvidas no local. Hoje, dentro da categoria conhecida como “pioneiro”, o rapaz comemora com os amigos em dose dupla: o Dia Mundial do Escoteiro e por ser seu aniversário. “Trabalhar o nosso lado cidadão, para mim, é o que torna esse movimento tão especial”, ressalta.

Enzo esclarece que, além do amigo, o momento decisivo para a busca pelo Guayporé se deu quando, ainda criança, ele estava na casa de sua avó e foi surpreendido com a entrega de um panfleto que falava sobre o papel do grupo na sociedade. “Falei para minha família do meu interesse, pois só conhecia pela televisão, filmes e achava interessante todas aquelas vestes. Com isso, decidir ir conhecer mais de perto e nunca mais saí”, salienta. Ele lembra que, acima de tudo, conviver de maneira harmoniosa com a sociedade e com o mundo, além de exercer a empatia para com o próximo, é o grande ensinamento.

O diretor-presidente do Grupo Escoteiro Guayporé, Marcelo Costilho Jorge, ressalta que, dentre outras definições, esse é um movimento educacional feito com jovens e para jovens, que conta com a colaboração do adulto e voluntário, quando são trabalhadas as áreas de desenvolvimento físico, cultural, intelectual, social e espiritual. Costilho ressalta que são quatro as faixas etárias disponíveis para os interessados: 6,6 anos aos 10,5, quando são considerados como lobinhos, dos 10,5 aos 14,5 chamados de escoteiros, 14,5 a 17,5 conhecidos como sênior e dos 17,5 aos 21 os pioneiros.

“Hoje é um dia em que todos os membros devem comemorar, ao usar o lenço do uniforme nas atividades do dia a dia, quando possível. Este é um momento de reflexão, para que possamos lembrar sobre o propósito pelo qual tudo isso foi criado e da transformação feita na vida de tantos seres humanos”, esclarece. Em Presidente Prudente existem três grupos: Guayporé, Monte Carmelo e Nelson Mandela, com aproximadamente 550 pessoas ao todo.

A diretora do Grupo de Escoteiros Monte Carmelo, Vilma Castro, por sua vez, ressalta que a data de deve ser comemorada ainda por parte da sociedade em geral, justamente pelos benefícios que as atividades proporcionam não somente aos participantes, principalmente diante de uma sociedade “como a que vivemos hoje em dia”. “É no seu grupo que a criança ou o jovem vai aprimorar tudo o que aprende, como a educação e a religiosidade. Não há pré-requisito para ser do movimento escotismo, basta ter o interesse pela mudança”, finaliza.