Quinta-Feira . 21 Fevereiro . 2019

PUBLICIDADE

Munícipes relatam abandono de terrenos baldios e falta de serviços

11/02/2018 01:41 • ANDRÉ ESTEVES - Da Redação
José Reis, Mato alto em terrenos baldios incomoda vizinhança do bairro José Reis, Mato alto em terrenos baldios incomoda vizinhança do bairro

Por se tratar de um bairro que ainda está em fase de ocupação, o Jardim Novo Prudente, em Presidente Prudente, dispõe de um alto número de terrenos baldios. A Seplan (Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Habitação) calcula 719 lotes vazios naquela área. Com isso, são recorrentes os transtornos envolvendo a preservação destes espaços, relatam os moradores. A vendedora Márcia Nogueira dos Santos Lima, 41 anos, explica que os principais problemas estão relacionados ao mato alto e descarte inapropriado de entulhos, situação que poderia ser evitada se houvesse a manutenção constante por parte dos proprietários e a colaboração dos munícipes. “Às vezes, o dono cuida do terreno, mas outros moradores acabam jogando lixo no local”, comenta.

O eletricista Maurício Junior Alves, 49 anos, aponta que muitos terrenos estão “a Deus dará” e, para evitar o aparecimento de animais indesejados em sua casa, ele mesmo tomou a iniciativa de contratar um profissional para fazer a limpeza de um lote próximo de sua residência. “Ou seja, eu tive que pagar para o cidadão que não aparece para fazer a limpeza do seu próprio terreno”, afirma. O morador completa que, em decorrência do abandono, passou a ficar atento quanto ao possível surgimento de escorpiões. A dona de casa Elizabeth Vasco da Silva, 48 anos, pondera que se o objetivo do dono é não construir por ora, pelo menos deve manter a sua área conservada. “Tem que deixar limpinho, porque o abandono gera perigo para quem já mora aqui”, considera.

A Prefeitura foi informada sobre a situação, mas se limitou a dizer que a administração está autuando e notificando os proprietários por meio da Seplan.

 

Serviços públicos

Basta percorrer pelas ruas do Jardim Novo Prudentino para constatar que, por enquanto, o bairro não tem muito a oferecer para os seus moradores. Em termos de atendimentos médico e escolar, os serviços são disponibilizados pelo Conjunto Habitacional Ana Jacinta. Já quanto ao comércio, o único estabelecimento que se destaca é aquele onde trabalha a vendedora Márcia Nogueira dos Santos Lima. A loja de materiais de construção se mostra oportuna naquela localidade, uma vez que são muitas as construções em andamento e que, eventualmente, vão demandar uma ferramenta ou outra. Márcia vê com bons olhos a iniciativa de abrir outros estabelecimentos comerciais no bairro, considerando que, em sua opinião, a expansão do comércio incentivaria a valorização imobiliária do Novo Prudentino.

Enquanto isso não ocorre, o marceneiro Alisson Vasco da Silva, 22 anos, acredita que o que poderia ser viabilizado de imediato é uma área de lazer, já que não há nenhuma opção de entretenimento e diversão para os residentes. Ele sugere a instalação de um parquinho e um campo de futebol para os pequenos, além de uma academia ao ar livre para a terceira idade. Questionada, a Secom (Secretaria Municipal de Comunicação) denota que a administração faz um estudo no local para poder atender a população.