Roberto Mancuzo: Estudante de Jornalismo, Larissa Biassoti, durante as gravações de “Quatro Sinais”, lançada nesta quarta-feira

Foto: Roberto Mancuzo: Estudante de Jornalismo, Larissa Biassoti, durante as gravações de “Quatro Sinais”, lançada nesta quarta-feira

DOCUMENTÁRIO

Obra aborda recuperação de dependentes químicos

Projeto audiovisual é resultado de uma parceria entre a TV Facopp e a Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus

  • 26/06/2019 07:10
  • Da Redação

A TV Facopp e a Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus lançam nesta quarta-feira o videodocumentário “Quatro Sinais”, que tem como tema central as comunidades terapêuticas da região de Presidente Prudente que tratam de pessoas toxicodependentes. Três unidades foram documentadas e tiveram suas histórias reunidas em um filme, que vai servir para abordar um dos problemas mais sérios de saúde pública no Brasil, a questão da dependência química em álcool e drogas.

Vinte e seis de junho é o Dia Internacional de Combate às Drogas, data escolhida pela Organização das Nações Unidas para que se possa discutir de forma mais enfática um dos problemas mais graves e urgentes da sociedade.

De acordo com o UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes), cerca de 275 milhões de pessoas, ou 5,6% da população global entre 15 e 64 anos, são usuárias de drogas.

Segundo o médico psiquiatra Heliomar Pavão Filho, dependentes químicos e alcóolatras da região podem ser atendidos pelo SUS no Ambulatório de Álcool e Drogas de Presidente Prudente, que fica no AME (Ambulatório Médico de Especialidades). “No nosso arquivo, desde 2013 foram registrados atendimentos em cerca de 10 mil dependentes de álcool ou drogas da cidade de Presidente Prudente e região”, afirma. O atendimento do Ambulatório de Álcool e Drogas é realizado de segunda a sexta-feira, das 19h às 22h.

As comunidades terapêuticas são lugares que viabilizam o tratamento e recuperação de pessoas toxicodependentes e por isso possuem papel fundamental na sociedade. O videodocumentário “Quatro Sinais” aborda três destas unidades na região: o Lar Nossa Senhora do Carmo na Providência de Deus, localizada na cidade de Álvares Machado, para homens; Lar Santa Teresinha do Menino Jesus na Providência de Deus, da zona rural de Presidente Prudente, para mulheres; e Lar São Miguel Arcanjo na Providência de Deus, na cidade de Pirapozinho, específico para homens.

Estes três lares, somados, já fizeram, desde 2010, cerca de 6 mil atendimentos, sendo 2.300 em Álvares Machado, 693 em Presidente Prudente e 2.900 em Pirapozinho.

Tema

O tema central do documentário Quatro Sinais é o tratamento dos dependentes químicos realizado pelas comunidades terapêuticas e administradas pela Associação. Após uma primeira reunião entre integrantes da TV Facopp e Associação e Fraternidade Lar São Francisco de Assis na Providência de Deus, foi definida uma equipe de trabalho e um cronograma de ação. Ao todo, foram quatro meses de planejamento e pesquisa (visitas técnicas e coleta de arquivos), dois meses de produção (gravações) e quatro meses de pós-produção, ou seja, edição do material completo.

Já o nome do videodocumentário, “Quatro Sinais”, representa o total de ciclos que os assistidos passam durante o tratamento de recuperação e também os quatro pilares (Família, Religião, Grupo de Apoio e Trabalho) usados como alicerce na reintegração do paciente enquanto ser humano. A palavra “Sinais” remete ao “Tau”, última letra do alfabeto hebraico, usado com valor simbólico de representação de salvação e determinação de Deus. O “Tau” é representado também por uma cruz em forma de “T”, muito utilizada pelos franciscanos.

Visibilidade

Para a professora e jornalista Thaisa Sallum Bacco, diretora-geral do documentário, é de grande importância e responsabilidade social documentar e mostrar para as pessoas o projeto de recuperação de dependentes químicos realizado na região de Presidente Prudente a partir das três casas. “O documentário Quatro Sinais é um exemplo da responsabilidade social do jornalista nas suas atividades sociais porque ele trata de uma questão de saúde pública presente nos dias atuais, que é o problema da dependência química e a recuperação de vidas. O filme, assim, apresenta o problema e abre a perspectiva real do que é o trabalho de atendimento dessas pessoas promovido pela associação.”

O coordenador religioso do Lar São Miguel Arcanjo na Providência de Deus, em Pirapozinho, Frei Bernardo, afirma que os dependentes químicos são constantemente julgados pela sociedade, sem que sejam conhecidos os reais motivos que levaram homens e mulheres a estarem naquela situação. “A partir do momento que há um convívio, conseguimos entender cada um e entender que a droga é mais um problema na vida de cada um deles. É um dos primeiros passos para o ciclo de tratamento.”

Já para a aluna de Jornalismo da Facopp, Luana Mariano, uma das envolvidas no projeto, foi uma grande experiência poder participar do documentário e entender melhor o dia a dia das pessoas que passam pelo problema do vício. “A experiência foi gratificante tanto pelo âmbito acadêmico porque apesar de já ter feito um documentário, nesse eu pude realmente participar de todas as fases de pesquisa, e tanto pessoal porque eu tinha uma visão totalmente distorcida do que viria ser um dependente químico.”

Serviço

O lançamento do documentário “Quatro Sinais” ocorre hoje, no Teatro César Cava, localizado no campus I da Unoeste, às 15h. A entrada é gratuita.

 

 

ÚLTIMAS DO AUTOR