José Reis - Curtume Touro, dentre outras ações, fornece equipamentos de seguranças aos colaboradores

Foto: José Reis - Curtume Touro, dentre outras ações, fornece equipamentos de seguranças aos colaboradores

MPT

Observatório contabiliza média de 865 acidentes de trabalho por ano na região

Dados do Observatório de Saúde e Segurança do Trabalho trazem fraturas como principais causas das ocorrências, com 25%, seguida de cortes e lacerações

  • 13/06/2019 04:00
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

O MPT (Ministério Público do Trabalho) mantém uma página chamada Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, que contabiliza os registros de acidentes de trabalho entre 2012 e 2018. Segundo o portal, em sete anos Presidente Prudente contabilizou 6.060, média de 865,71 por ano, sendo que as fraturas estão dentro das lesões mais frequentes, com 1.633 (25,44%) no período. “Vejo que é um número muito alto, mas sabemos que há uma quantidade significativa e que não é notificada. O ambiente de trabalho é o principal fator que pode causar a mudança desse cenário”, informa a supervisora do Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador), Meire Barretto, serviço da Secretaria Municipal de Saúde.

Conforme o levantamento, que pode ser feito de forma livre e online, existem 10 tipos de acidente que são os mais comuns no município (veja a tabela), de forma que além das fraturas, os cortes, lacerações e feridas contusas também se destacam, com 1.454 casos em sete anos, representando 22,65% do total. Em terceiro lugar estão as contusões, com 842 notificações (13,12%) e as distensões, com 7,57% dos casos. Em último lugar estão as queimaduras, que somam 159 notificações desde 2012.

Ainda no portal, é possível notar os dez setores que mais realizam comunicações de acidentes no período analisado, de forma que as atividades ligadas aos atendimentos hospitalares lideram com 18,73% dos casos, seguidas do segmento de curtimento e outras preparações de couro, com 8,52%. Sobre os dados subnotificados, a supervisora do Cerest lembra que muitos podem ser casos considerados como leves e que, mesmo com a necessidade de um acompanhamento, acabam passando despercebidos.

“O ambiente precisa se adequar ao funcionário e não ao contrário. Isso porque, ele não pode oferecer riscos, precisa de dispositivos de sensibilidade nas máquinas, por exemplo, que garantam a segurança dos colaboradores, ações que vão além dos equipamentos básicos de segurança que não são suficientes por si só, mas importantes e fundamentais”, lembra Meire.

Já sobre as atividades que mais notificam, como é o caso dos hospitais, ela ressalta que o protocolo para estes casos é mais rígido, pelos riscos que oferecem, e informa que por serem profissionais cientes do risco que correm, não deixam “passar em branco”. “Muitas vezes estão em contato com seringas, materiais biológicos e sabem do dano que isso pode causar. Em alguns casos é preciso, inclusive, realizar exames e tomar medicação, por isso o segmento lidera”, finaliza.

Cuidados

O diretor do Curtume Touro, em Presidente Prudente, Fernando Carballal, afirma que a empresa “sempre teve essa sistemática de prevenção de acidentes”, de forma que medidas são tomadas semanalmente para, além de prevenir, evirar riscos. “Fornecemos todos os equipamentos de segurança aos nossos colaboradores, além de seguir as regras de segurança estabelecidas. Infelizmente, sabemos que ainda assim ocorrem acidentes, mas trabalhamos para que eles sejam nulos”, lembra.

Ainda segundo Fernando, a empresa conta com uma pessoa que faz levantamentos semanais sobre o que pode melhorar no quesito segurança, além de um funcionário interno que é técnico em segurança do trabalho, que realiza vistorias periódicas no local. “Trabalhamos para evitar esses números”.

Registros acidentes de trabalho 2012-2018

10 lesões mais frequentes

Tipo de acidente

Quantidade

Porcentagem

Fratura

1.633

25,44%

Corte, laceração, ferida contusa, punctura

1.454

22,65%

Contusão, esmagamento

842

13,12%

Distensão, torção

486

7,57%

Luxação

429

6,68%

Lesão imediata

379

5,91%

Escoriação, abrasão

331

5,16%

Lesões múltiplas

179

2,79%

Doença

168

2,62%

Queimadura ou escaladura

159

2,48%

Total:

6.060

 
     
     

10 setores econômicos com mais comunicação 2012-2018

Atividade

Quantidade

Porcentagem

Atividades de atendimento hospitalar

1.202

18,73%

Curtimento e outras preparações de couro

547

8,52%

Administração pública em geral

299

4,66%

Comércio varejista de mercadorias em geral

267

4,16%

Fabricação de massas alimentícias

237

3,69%

Restaurantes e estabelecimentos de alimentação

187

2,91%

Fabricação de açúcar em bruto

185

2,88%

Comércio de peças e acessórios para veículos

155

2,42%

Fabricação de artefatos de couro não especificados

141

2,20%

Abate de reses, exceto suínos

118

1,84%