Jean Ramalho - Teste de glicemia é rápido e indolor, e pode ser feito em unidade de saúde

Foto: Jean Ramalho - Teste de glicemia é rápido e indolor, e pode ser feito em unidade de saúde

DOENÇA CRÔNICA

Prudente soma 14.728 diabéticos

Casos registrados no Hospital Regional cresceram 46% entre 2018 e 2019; segundo especialista, sedentarismo e obesidade são fatores de risco para o desenvolvimento da enfermidade

  • 14/11/2019 08:15
  • PEDRO SILVA - Especial para O Imparcial

Diabetes é uma doença crônica, que segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde de Presidente Prudente), atinge 14.728 pacientes na cidade. Destes, 2,8 mil são diabéticos insulinodependentes, ou seja, recebem os insumos para controle da glicemia capilar e aplicação desta, além de todos os cuidados com avaliação e acompanhamento médico. Hoje é o Dia Mundial da Diabetes.

O HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de janeiro a outubro de 2018, atendeu 687 indivíduos com a doença, porém, no mesmo período de 2019, o número cresceu 46%, chegando a 1.004 casos. Segundo a endocrinologista Mariana Zambelli Crepaldi, essa majoração “se deve ao aumento no número de consultas ofertadas, mas também devido ao aumento da obesidade e sedentarismo na população”. A SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) declara que 13 milhões de brasileiros são diabéticos.

PROTAGONISMO

E CUIDADOS

A cada ano, os diabéticos estão tendo mais informações e cuidados para ter uma vida normal. A Sesau, desde 2015, realiza ações para o dia 14 de novembro, na UBS (Unidade Básica de Saúde) Cohab. “Ao todo são atendidos cerca de 250 pacientes, que recebem várias orientações relacionadas à diabetes”, pontua a Secom (Secretaria Municipal de Comunicação). Neste ano, a secretaria participará do 2º Mutirão da Diabetes, com o objetivo de captar e intervir em novos casos da doença.

“A Sesau fez sua adesão junto à Anad [Associação Nacional de Atenção à Diabetes] com a inclusão do evento ao Dia Mundial da Diabetes que ocorre na unidade da Cohab. Teremos orientações sobre atividades físicas, e também será servida uma mesa de frutas para o estímulo de hábitos saudáveis de alimentação e orientação nutricional, e cuidados de saúde”, expõe a pasta.

 “A diabetes é uma doença multifatorial, causada pela falta da produção de insulina ou pela resistência a ela. O sedentarismo e a obesidade têm aumentado a incidência da doença em todas as faixas etárias”, explica a endocrinologista. Existem três casos de diabetes, tipo 1, tipo 2 e gestacional, “O tipo 1 é uma doença autoimune, em que o organismo para de produzir insulina. Neste tipo só se pode fazer o tratamento com insulina. O 2 é ligado à genética, obesidade, sedentarismo. Neste tipo há uma resistência à insulina e posteriormente pode haver falência do pâncreas. Neste caso, podemos tratar com medicações orais, insulina ou os dois. A diabetes gestacional é aquela diagnosticado durante a gestação, após o segundo trimestre. O risco da mulher vir a ser diabética no futuro aumenta consideravelmente”, pontua.

A especialista ainda comenta que os avanços da medicina permitem que o diabético leve uma vida normal, pelos tratamentos e medicamentos. “Para tudo isso ter resultado, ter um acompanhamento constante e seguir sempre as orientações passadas pelo endocrinologista é imprescindível. Dieta saudável e atividades físicas também”, recomenda.