Região tem 90 leitos de UTI cadastrados ao SUS

Total cresceu 30% desde levantamento do IBGE em dezembro de 2019; Osvaldo Cruz, por exemplo, inaugurou neste mês suas primeiras seis vagas de terapia intensiva

REGIÃO - MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

Data 17/05/2020
Horário 13:28
Cedida - Leitos em Osvaldo Cruz já estão sendo utilizados para pacientes com Covid-19 da microrregião Foto: Cedida - Leitos em Osvaldo Cruz já estão sendo utilizados para pacientes com Covid-19 da microrregião

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), em dezembro do ano passado, momento em que o novo coronavírus já circulava na China, a região de Presidente Prudente possuía 118 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), sendo que 69 estavam disponíveis a pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). Estes números, todavia, já mudaram. Muito por conta das ações aceleradas para preparar a região, como todo país, para o pico da pandemia. Hoje, a Secretaria de Estado da Saúde já confirma 90 leitos de UTI no sistema público de saúde do oeste paulista.

Além do aumento de 21 leitos em vagas de UTI na região de Prudente, a Saúde estadual confirma 523 leitos clínicos na 10ª RA (Região Administrativa) do Estado e uma taxa de ocupação de UTIs em 64%.

Apesar de não serem fiéis à realidade atual, os dados do IBGE dão dimensão ao problema que os baixos índices de isolamento social nos municípios da região podem causar: a cada mil cidadãos, a 10ª RA conta com apenas 0,13 vaga de UTI, ou seja, 1 vaga a cada 7,7 mil pessoas. A situação fica pior nos pequenos municípios. Os dados do IBGE demonstram que das 53 cidades da região, 48 não possuem nenhum leito de UTI e dependem exclusivamente de municípios vizinhos para atendimento de casos graves de qualquer doença, incluindo a Covid-19.

CRIAÇÃO DE

NOVOS LEITOS

Osvaldo Cruz é um dos exemplos de cidades que recentemente aumentaram ou criaram novas vagas de UTI vislumbrando, justamente, os casos da Covid-19. Segundo o diretor clínico da Santa Casa de Misericórdia da cidade, Émerson Renato Fazan Bussola, a cidade não possuía UTI cadastrada no Ministério da Saúde até dia 1° de maio, início do mês. “Temos seis leitos de UTI exclusivos para Covid- 19”, ressalta.

“Diante do que estamos vivendo seriam necessários mais leitos de UTI aqui e em outras cidades também, a região carece de melhor estrutura de saúde para cuidar da população. No momento está sendo suficiente diante da demanda, porém, a procura por leitos deve aumentar, com isso será necessário a criação de mais leitos também nesta microrregião”, completa Émerson.

Dracena também trabalhou a fim de aumentar a disponibilidade de leitos de terapia intensiva e aguarda a homologação do cadastramento de 10 novas UTIs para tratamento de infecções do novo coronavírus pelo Ministério da Saúde, como informa a secretária de Saúde, Ronize Seefelder.

O maior centro regional, por sua vez, já possui melhores números que os demonstrados pelo IBGE no último mês de 2019. Presidente Prudente, de acordo com o secretário municipal de Saúde, Valmir da Silva Pinto, possui 81 leitos, sendo que 61 do SUS (21 a mais que há 5 meses). Segundo ele, destes, a princípio, 27 foram separados exclusivamente para a doença pandêmica, mas se for demandado mais leitos, não hesitará em utilizá-los.

 

DEPENDÊNCIA DOS

CENTROS REGIONAIS

É evidente que a maioria das cidades da 10ª RA depende dos municípios vizinhos de maior porte, como Prudente, Dracena, Adamantina e Presidente Venceslau.  No entanto, como bem lembram os dirigentes da Saúde e a secretaria estadual, a rede pública de Saúde de São Paulo funciona sob o Sistema Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde). O Estado explica que o recurso é utilizado “caso qualquer paciente precise ser transferido à unidade que possua recursos específicos, não disponíveis no serviço de origem do atendimento. O sistema identifica os leitos disponíveis e, assim, organiza o sistema e auxilia no encaminhamento do paciente para o local mais próximo da residência e apto a assisti-lo, com avaliação individualizada de cada caso”, ressalta.

Desta forma, os leitos da 10ª RA, em se faltando vagas em outras regiões, podem ser utilizados para qualquer cidadão do Estado.

UTIs na região em dezembro de 2019

Cidades

UTIs

UTIs SUS

UTI/mil habitantes

Adamantina

5

4

0,14

Alfredo Marcondes

0

0

0,00

Álvares Machado

0

0

0,00

Anhumas

0

0

0,00

Caiabu

0

0

0,00

Caiuá

0

0

0,00

Dracena

10

10

0,21

Emilianópolis

0

0

0,00

Estrela do Norte

0

0

0,00

Euclides da Cunha Paulista

0

0

0,00

Flora Rica

0

0

0,00

Flórida Paulista

0

0

0,00

Iepê

0

0

0,00

Indiana

0

0

0,00

Inúbia Paulista

0

0

0,00

Irapuru

0

0

0,00

Junqueirópolis

0

0

0,00

Lucélia

0

0

0,00

Marabá Paulista

0

0

0,00

Mariápolis

0

0

0,00

Martinópolis

0

0

0,00

Mirante do Paranapanema

0

0

0,00

Monte Castelo

0

0

0,00

Nantes

0

0

0,00

Narandiba

0

0

0,00

Nova Guataporanga

0

0

0,00

Osvaldo Cruz

0

0

0,00

Ouro Verde

0

0

0,00

Pacaembu

0

0

0,00

Panorama

0

0

0,00

Pauliceia

0

0

0,00

Piquerobi

0

0

0,00

Pirapozinho

0

0

0,00

Pracinha

0

0

0,00

Presidente Bernardes

0

0

0,00

Presidente Epitácio

0

0

0,00

Presidente Prudente

78

40

0,34

Presidente Venceslau

10

10

0,25

Rancharia

15

5

0,50

Regente Feijó

0

0

0,00

Ribeirão dos Índios

0

0

0,00

Rosana

0

0

0,00

Sagres

0

0

0,00

Salmourão

0

0

0,00

Sandovalina

0

0

0,00

Santa Mercedes

0

0

0,00

Santo Anastácio

0

0

0,00

Santo Expedito

0

0

0,00

São João do Pau d'Alho

0

0

0,00

Taciba

0

0

0,00

Tarabai

0

0

0,00

Teodoro Sampaio

0

0

0,00

Tupi Paulista

0

0

0,00

TOTAL

118

69

0,13

Fonte: IBGE, 2019

Veja também