José Reis - Encontro recebeu 36 dos 100 municípios convidados para o debate sobre trânsito na escola

Foto: José Reis - Encontro recebeu 36 dos 100 municípios convidados para o debate sobre trânsito na escola

BASE DO PROBLEMA

Seminário incentiva debates sobre educação para o trânsito na escola

Adimtran afirma que acidentes e gastos no Sistema Único de Saúde poderiam ser evitados, caso os artigos 74, 75 e 76 do CTB fossem cumpridos

  • 26/04/2019 07:30
  • GABRIEL BUOSI - Da Redação

O Sest/Senat (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) de Presidente Prudente sediou ontem, das 8h às 17h, o 16º Seminário de Mobilidade Urbana, Trânsito e Transporte, cujo objetivo foi o de discutir a municipalização e educação para o trânsito nas cidades de todo país. O presidente da Adimtran (Associação de Dirigentes Municipais de Transporte e Trânsito), André Luiz Mazzaropi, afirma que o objetivo é concretizado com dados de 2017 –mais recentes – informados pelos organizadores, de que naquele ano foram 8 milhões de pessoas acidentadas, de forma que o gasto ao SUS (Serviço Único de Saúde) foi de R$ 450 bilhões. “Com conscientização, não haveria tanto gasto”.

Mazzaropi afirma que foi assessor da equipe que elaborou o Código Brasileiro de Trânsito e lembra que os artigos 74, 75 e 76, que tratam da integração da educação de trânsito nas escolas não são cumpridos. “É neste momento que enfrentamos o principal problema. Não adianta as administrações públicas investirem em sinalizações verticais, horizontais, tecnologia e se esquecerem da educação básicas nas escolas, que é o principal”, salienta. Por causa disso, ele informa que a partir desse ano há uma expectativa de que a Procuradoria-Geral da República e Ministério Públicos busquem o cumprimento da lei.

Sobre escolher Presidente Prudente para sediar o 16º encontro, ele ressalta que não houve motivo especial a não ser o de que este é um “polo regional” e que poderia ser de fácil acesso a diversas das 100 cidades convidadas – 36 estiveram presentes. “É abaixo do que esperávamos, mas ainda assim é um valor expressivo e importante”. Ele comenta ainda que 12 câmaras municipais foram convidadas, mas duas delas estiveram na cidade. “Começa por aí. Ou modificamos o nosso comportamento, ou chegaremos a um colapso”. De todos os municípios do país, Cerquilho (SP) foi a primeira a introduzir o tema nas escolas e esse é um exemplo a ser seguido, segundo ele.Uma das cidades presentes foi Pracinha, representada pelo servidor municipal, Marcos Teixeira, 35 anos, que trabalha no Posto Avançado do Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Ele afirma que o seminário permitiu conhecer novas técnicas e possibilidades disponíveis para o trabalho do trânsito no município, de forma que, agora, o objetivo será apresentar as propostas às autoridades locais. “Teremos que adequar essas possibilidades à nossa realidade, mas são ideias que valem a pena serem pensadas”.