28 de fevereiro de 2013 às 16h22 - Prudente
Imprimir
RSS

SindSaúde protesta por regulamentação de jornada

por Daniela Silveira-ESPECIAL

Segundo o diretor regional, chefes e diretores estão desrespeitando o acordo de 30 horas semanais na jornada de trabalho.

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde do Estado de São Paulo (SindSaúde) realizou ontem pela manhã, uma mobilização geral pela regulamentação da jornada de 30 horas semanais para funcionários que trabalham na área técnica e administrativa. Ao todos, 62 funcionários estavam envolvidos no protesto, que ocorreu em frente ao Hospital Estadual Doutor Odilo Antunes Siqueira, em Presidente Prudente. Durante as quatro horas do manifesto, 70% dos trabalhadores paralisaram as atividades, os outros 30% trabalharam. Segundo o diretor regional do SindSaúde, Paulo Roberto Índio do Brasil, se não houver uma posição do governo do Estado, a partir da segunda quinzena de março, será aberta uma greve geral da saúde.

Segundo o diretor regional, chefes e diretores estão desrespeitando o acordo de 30 horas semanais na jornada de trabalho. “Muitos funcionários estão sendo pressionados a cumprir 40 horas, por isso, estamos reivindicando a regulamentação”, diz. Ele conta que no início do ano, representantes do sindicato se reuniram com a Coordenadoria de Recursos Humanos da Secretaria Estadual da Saúde, que reafirmou o acordo e informou que o projeto da regulamentação estaria na Casa Civil. “Todas as unidades do Estado estão paralisadas”, expõe.

Brasil declara que se não houver uma resposta do Estado, os funcionários realizaram uma greve geral no setor. “Após isto, iniciaremos a campanha salarial de 2013, que visa à reposição salarial de 32,2%”, declara. Ele diz que há dez anos o salário dos funcionários não tem reajustes.

 

Outro lado

A Secretaria Estadual de Saúde esclarece que não procede a informação de que ontem 30% dos funcionários técnicos e administrativos estavam trabalhando no Hospital Estadual de Prudente. O hospital informa que 16% de sua equipe administrativa aderiu à mobilização do SindSaúde na manhã de ontem, portanto, 84% dos funcionários estavam trabalhando, o que não afetou os atendimentos à população.

Explica que em 2011 o governo do Estado já aprovou um novo plano de cargos e salários para os servidores da saúde, antiga reivindicação da categoria, o que resultou em aumentos entre 9% e 40%, retroativos ao mês de julho daquele ano. Para os médicos, o aumento foi de 19,5%. Em abril de 2012, o governo do Estado anunciou reajuste de 100% no vale-refeição dos servidores, incluindo os da saúde, válido a partir de 1º de maio. “A pasta vem mantendo diálogo com o SindSaúde-SP em relação à nova pauta apresentada. As conversas são mantidas em conjunto com a Secretaria da Gestão”, informa a secretaria.