08 de janeiro de 2017 às 08h35 - Editorial
Imprimir
RSS

Ultrapassagens proibidas são frutos da irresponsabilidade dos condutores

 

Muitas pessoas na região precisam trafegar diariamente pela Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425) para estudar ou trabalhar. Há algum tempo atrás, a via era alvo constante de reclamações pelos usuários: muitos buracos na pista, que pioravam durante os períodos de chuva; falta de acostamento, sinalização ou canteiro. Quantos acidentes não ocorreram em determinados trechos da SP-425, devido às suas más condições?

Há exatamente um ano, completado amanhã, tiveram início as tão aguardadas obras de modernização da Assis Chateaubriand. A conclusão das benfeitorias, que foram divididas em três lotes, contemplando 101 quilômetros da rodovia, deve ocorrer em julho, dentro do prazo inicial previsto.

Com R$ 364,2 milhões de investimento, as melhorias compreendem os trechos entre Martinópolis e Presidente Prudente, que serão duplicados; Prudente e Pirapozinho, com complementação da duplicação, recapeamento e melhorias na pista, pavimentação dos acostamentos, implementação de dez dispositivos (sendo duas passarelas e oito viadutos) e baias de ônibus; e entre Pirapozinho e Estrela do Norte, beneficiando ainda as cidades de Tarabai, Narandiba e Sandovalina. Neste lote, são executados o recapeamento da pista, melhoramentos e pavimentação dos acostamentos, implantação de quatro rotatórias e um viaduto e baias de ônibus.

Hoje, quem passa por estes trechos leva um tempo maior para chegar ao seu destino. O limite de velocidade foi reduzido em alguns pontos. Placas de sinalização são trocadas frequentemente, indicando o local do desvio. Em alguns dias, a paralisação do trânsito faz-se necessária, adotando o sistema Pare e Siga. Em certos locais, ao invés de quatro pistas, apenas duas estão funcionando. Tudo isso “dificulta” a viagem. Porém, tudo isso está sendo feito, pensando única e exclusivamente na segurança de quem trafega pela SP-425.

Mesmo em obras, ao invés da atenção redobrada, o que tem se observado nestes pontos são a pressa, a falta de paciência e a irresponsabilidade de muitos condutores. Ao todo, conforme matéria divulgada ontem neste diário, 269 multas por ultrapassagem na contramão foram registradas pelo DER (Departamento de Estradas e Rodagem) no trecho entre Prudente e Pirapozinho, apenas em novembro e dezembro, a partir de quando passou a ser considerada uma infração gravíssima.

De dia e à tarde – quando o fluxo de veículos é intenso no local -, à noite, não importa o horário. Muitos motoristas arriscam sua vida e colocam a de outras pessoas em perigo, ultrapassando a linha contínua amarela. O resultado: carros saindo para o acostamento, outros freando em cima da pista para dar tempo de quem vem de frente conseguir ultrapassar, motos passando em mínimos espaços. Ou então, quando são pegos fazendo tal loucura, sete pontos na carteira. Lembrando que com a adoção de novos valores, as multas mais pesadas, causadas pelas infrações gravíssimas, com multiplicador de dez vezes, passaram a ser de R$ 2.934,70.

Sem a prudência dos motoristas, os resultados esperados ficam longe de serem alcançados. De nada vão adiantar as melhorias na rodovia, se o comportamento dos condutores ao volante também não melhorar.