"Obrigado Doutor"

DignaIdade

COLUNA - DignaIdade

Data 19/10/2021
Horário 06:00

Entre 1979 e 1981, em substituição às antigas novelas das dez da noite, foi criado um horário especial de minisséries brasileiras na Rede Globo, e uma que foi levada ao ar no ano de 1981 às terças-feiras foi “Obrigado, Doutor”. Na história, o Dr. Rodrigo Junqueira (Francisco Cuoco), um ginecologista se muda para a pequena cidade de Andorinhas, onde reativa o hospital local com a anuência da proprietária Isabel (Elaine Cristina) com quem mantém uma relação de amor e ódio. Os episódios contavam sobre as dificuldades culturais dos povos sem acesso à saúde e os problemas financeiros da saúde pública. Apesar do sucesso atual de seriados americanos com temas médicos e o próprio “Sob Pressão”, nacional, temas hospitalares no passado geralmente não davam muito certo em audiência (Vide a novela “Hospital” da TV Tupi de 1971 e a novela “Os Gigantes” de 1979 da Globo que foram grandes fracassos), e “Obrigado Doutor” também não empolgou. Foi o primeiro trabalho de Elaine Cristina na Globo após a falência da Tupi e também de Nicette Bruno que fazia a Irmã Júlia. O seriado teve 24 episódios. 

“Por que a desidratação é tão grave nos idosos?”

A desidratação é uma das condições de urgência mais frequentes e graves dentre as pessoas em processo de envelhecimento. Embora a sua correção seja completamente possível, alguns aspectos diferenciais do idoso configuram um caráter de gravidade em sua abordagem. Os idosos desidratam com mais facilidade porque apresentam menor composição hídrica no corpo (menos de 50% do corpo é feito de água enquanto que em crianças estes níveis podem chegar a 70%), portanto, a perda de líquido impacta com maior rapidez nas reservas de água do idoso. Além de desidratar facilmente (um ou dois episódios de vômitos ou diarreia podem ser suficientes), há uma maior dificuldade de reconhecimento da desidratação no idoso: geralmente a pele já é mais seca e com menor elasticidade, as mucosas estão mais desidratadas (principalmente a boca, por falta de ingesta hídrica, por respiração oral e por medicamentos com efeitos colaterais), dificultando o diagnóstico. A desidratação do idoso geralmente é reconhecida quando já há comprometimento do nível de consciência (sonolência, confusão mental ou coma) e alterações dos dados vitais (queda de pressão e alterações do ritmo cardíaco). Apesar de terem menos água e desidratarem mais rápido, os idosos não percebem tão facilmente a sede, com lentificação na sensação de sete até 11 vezes de quando se era jovem. Não bastassem estes inconvenientes, a hidratação endovenosa do idoso (a aplicação de soros para recuperação) também envolve critérios particulares. O idoso tem menor quantidade de sangue circulando, portanto, não dá para infundir grandes volumes rapidamente: é como se o sistema de caixa d’água (coração) e canos (vasos sanguíneos) não suportassem volumes acentuados de água. Desta forma, a infusão rápida pode levar a extravasamentos como o edema agudo de pulmão, e a velocidade de infusão de soro no idoso deve respeitar limites específicos. 

Dica da Semana

Novelas TV por Assinatura

“Amor com Amor se Paga”: 
Estreia no próximo dia 15 de novembro no canal Viva a novela “Amor com Amor se Paga”, levada ao ar originalmente em 1984. Escrita por Ivani Ribeiro, contava a história do sovina Nonô Correia (Ary Fontoura) que vivia fazendo economia, pondo cadeado na geladeira e judiando da empregada Frosina (Berta Loran) e dos filhos Tomás (Edson Celulari) e Elisa (Bia Nunes). Muito bom rever o elenco estrelado: Yoná Magalhães, Carlos Eduardo Dolabella, Fernando Torres, Chica Xavier, Milton Moraes, Caíque Ferreira, Carlos Kroeber, só para citar os falecidos. 

 


 

Veja também