Publicidade

AME comemora 10 anos com ação

Primeira de uma série de atividades do mês teve panfletagem como forma de conscientização sobre álcool e drogas, além de exposição de trabalhos e música com atendidos do ambulatório

VARIEDADES - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 12/02/2020
Horário 07:55
Isadora Crivelli - Cidadãos passam pelas instalações e observam ações realizadas pelo ambulatório Foto: Isadora Crivelli - Cidadãos passam pelas instalações e observam ações realizadas pelo ambulatório

O AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Presidente Prudente completa, neste mês, 10 anos de sua criação, e, portanto, durante todo o mês preparou programações especiais. Ontem, a primeira de uma série de atividades ocorreu na Praça Nove de Julho, no calçadão que fica no centro da cidade. O objetivo da ação foi mostrar aos munícipes os trabalhos do Ambulatório de Álcool e Drogas, ligado ao AME, e conscientizar sobre a importância do tema. Nesta década do espaço, 123 mil pacientes foram atendidos, mais de 3 mil acolhidos em internações e cerca de 250 pacientes de todos os 45 municípios do DRS  11 (Departamento Regional de Saúde) são atendidos semanalmente, com apoio PAI (Polo de Atenção Intensiva à Saúde Mental) do HR (Hospital Regional) de Presidente Prudente Doutor Domingos Leonardo Cerávolo.

No local, além da panfletagem como forma de informação e conscientização, foram expostos artesanatos feitos pelos adictos (dependentes de substâncias psicoativas), fotos dos seus trabalhos na horta das casas, bem como seus afazeres na cozinha e afins. Também abrilhantaram o evento os músicos e acolhidos pelo ambulatório Rogério Freire Amorim, 38 anos, Lucas Pereira dos Santos da Silva, 25 anos, e Bruno Basílio Dias da Silva, 18 anos.

Os três, com suas histórias de vida são retratos marcantes e exemplos do caminho que leva à superação. “Estou em minha segunda internação, entrei por causa do álcool, depois fiquei nove anos limpo, achei que estivesse bem, então tomei um copo de cerveja, em quatro meses estava fumando crack, tentei me matar, mas Jesus brilhou em minha vida”, conta Rogério, que por conta própria buscou ajuda no local pela segunda vez.

Lucas também está na casa de acolhimento pela segunda vez, ele afirma ter feito ao longo da vida, uso de mais de 10 tipos de drogas, tendo passado, inclusive por dois surtos psicóticos, evento que serviu de gatilho para que ele buscasse ajuda no ambulatório.

O caso de Bruno, como os anteriores, também só chegou à resolução quando ele decidiu que a ajuda seria necessária, ele afirma ter começado a beber e fumar maconha com 12 anos. “Sempre fui religioso, comecei pensar ‘como vou à igreja e depois coloco cigarro de maconha e álcool na boca’, isso machuca a nós mesmos e nossos familiares”, conta o rapaz.

Sobre a mudança de vida, está na boca de cada um. “Temos três tipos de ajuda, a espiritual, a física e psicológica; são essenciais para que caminhemos com nossos próprios pés”, enfatiza Rogério. “Quando um de nós está ‘para baixo’, outros botam para cima”, relata Lucas ao falar da sociabilidade e visão comunitária.

O ATENDIMENTO

DO AMBULATÓRIO

A assistente social do AME Michele Franco, 30 anos, afirma que para aqueles que tenham o desejo de tratar-se do vício em álcool e drogas, basta estar presencialmente no AME, de segunda à sexta-feira a partir das 19h, até as 22h, com documentos pessoais, não é necessário encaminhamento médico. Pacientes de outras cidades podem estar solicitando transporte para o AME através da Secretaria Municipal de Saúde do seu município

O psicólogo Francisco Roberto de Meneses, 39 anos, ressalta que não há, no ambulatório, tratamentos compulsórios, todas as decisões médicas precisam ser consentidas pelo paciente. Sobre as formas de tratamento, ele aponta dois caminhos, o tratamento ambulatorial, baseado em medicamentos e grupos de apoio para dependentes químicos e familiares, além de atendimentos individuais; há também a internação, normalmente indicada para o adicto que sofra constantemente com recaídas. A escolha de tratamento é realizada pela equipe médica após triagem, mas a decisão de fazê-la compete ao paciente.

O lar São Francisco de Assis na Providencia de Deus, mantenedor do HR, é responsável por três comunidades terapêuticas na região, uma delas em Álvares Machado, outra em Pirapozinho e uma feminina em Prudente, no distrito de Montalvão.

PROGRAMAÇÃO MENSAL

Amanhã, às 9h, pátio do AME: Apresentação Musical do Projeto Camerata;

Dia 19, às 9h, pátio do AME: Apresentação do Coral dos colaboradores do HR e AME;

Dia 19, às 19h, pátio do AME: Missa em ação de graças pelos 10 anos do AME, celebrada pelo padre Paulo Nunes, capelão do AME;

Dia 21, às 9h30, pátio do AME: Missa em ação de graças pelos 10 anos do AME, celebrada pelo bispo da diocese de Presidente Prudente, Dom Benedito Gonçalves dos Santos

Veja também