Publicidade

Casinha Viajante: 12 mil km pelo Brasil afora

De passagem por Presidente Prudente, Marcela Cintra Santos, Nicole Maschio Severo e as cadelas Bolinha, Francisca e Moah se aventuram numa viagem pelo país, de Kombi

VARIEDADES - THIAGO MORELLO

Data 29/01/2020
Horário 05:13
Weverson Nascimento - Marcela e Nicole iniciaram a trip em setembro de 2019, com roteiro de 12 mil km a seguir Foto: Weverson Nascimento - Marcela e Nicole iniciaram a trip em setembro de 2019, com roteiro de 12 mil km a seguir

Depois de três longos anos de idealização, o sonho que estava apenas no papel tomou forma. Ou melhor, ganhou rota, quilômetros (km) a serem percorridos, três cachorrinhas de companhia e muitas aventuras para viver. De passagem em Presidente Prudente, a prudentina Marcela Cintra Santos e a porto-alegrense Nicole Maschio Severo embarcaram no projeto Casinha Viajante, destinadas a percorrerem o Brasil afora dentro de uma Kombi 1999. Quer dizer dentro da Kombica, amorosamente apelidada. Namoradas, o casal possui um roteiro com cerca de 12.000 km a seguir, com paisagens de cidades brasileiras na meta e perrengues e experiências que já podem ser compartilhados.

Do sul ao norte, o ponto de partida de toda essa experiência foi a cidade de Gramado (RS), em setembro do ano passado. No total, a ideia delas é que todo o roteiro seja percorrido em aproximadamente um ano, passando por diversos Estados brasileiros, com pontos que fazem questão de percorrer, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Pará, Goiás e Tocantins.

Mas para quem pensa que elas simplesmente decidiram, arrumaram as malas e foram, se engana. A palavra usada pelo casal, como diz Marcela, é planejamento. No último ano, por exemplo, o engajamento foi ainda maior, quando realmente colocaram a mão na massa. “A gente começou a juntar dinheiro, pesquisar referências com casais e pessoas que já fizeram o mesmo. E fisicamente o primeiro passo foi comprar a Kombi”, completa.

Mas não foi só comprar. Conforme pontua Nicole, elas estiveram que estudar também, estudar o veículo, a fim de criar uma certa independência quando o assunto é lidar com problemas mecânicos, por exemplo. Pelo menos aquilo que pode ser resolvido sem uma ajuda profissional. “Fora a montagem do espaço, que foi a gente que fez. O lugar para dormir, a cozinha, o espaço para as cachorras e até o banheiro e chuverinho móvel para paradas. Tivemos ajuda de familiares com objetos e tudo mais, mas nós que intensificamos todo preparo”, contam.

E realmente fizeram. Cama, cozinha, espaço para guardar roupas sujas, fogão, potes com mantimentos, um acento improvisado, ducha portátil e muito mais. Tudo dentro do veículo foi bem pensado. “E tinha que ser, porque a gente precisou pensar que, além da gente, temos a Bolinha, Francisca e Moah conosco, as três cadelas”, frisa Marcela. Além disso, Nicole comenta que a rota também foi montada pensando em locais para paradas específicas, onde podem também auxiliar na condição dos animais, pensando em não saturá-los.

E fora isso, a ideia não se fixa apenas na aventura de conhecer vários lugares do país. Por exemplo, mesmo com o orçamento montado e preparado para o que planejaram, a ideia é realizar paradas estratégicas para trabalho, como no Rio de Janeiro e Salvador. “É um seguro, uma garantia para podermos realizar mais coisas do que planejamos. Também tem lugares que queremos passar e fazer cursos. São coisas que não estão inclusas, então, levantar esse dinheiro a mais seria para cobrir essas coisas”, destaca Marcela.

PERRENGUES E

PROSPECÇÕES

E também se engana quem olha a aventura apenas com o glamour de viver a experiência. Em pouco tempo de estrada, elas já têm perrengues que passaram para contar. “Explodiu o nosso alarme da Kombi. A gente andava e ele disparava. Destravava, ele parava. A gente andava e ele disparava de novo. A Kombi já pifou também e quebrou o cabo de acelerador. Ela tem vida própria. Ela mesma para e ela mesma se arruma [risos]. Mas isso também faz parte de todo o lado gostoso do desafio”, brincam.

De tal modo que, ao serem questionadas, respondem que o status até agora é: incrível. Tanto que o sonho posterior é expandir o projeto para a América do Sul. “Tem sido muito divertido. Ter mais contato com a natureza, desapegar de muita coisa, ter uma rotina diferente. E isso muda muito a cabeça também, de mudar a vida, sabe? Ajuda a dar valor a coisas pequenas, como uma ducha”, brinca Nicole.

Até porque a ideia delas é serem o mais sustentável e independente. Nessa tendência, a Kombica foi montada com placas de energia solar e reservatório para água - que naturalmente precisa ser abastecido -, para que elas possam aproveitar, ainda mais, espaços livres, sem depender de área de camping, por exemplo.

BOX

Casinha Viajante
Com a ideia de compartilhar a experiência com outras pessoas, Nicole e Marcela criaram a página @casinhaviajante, no Instagram. Por lá, qualquer um pode enviar fotos, ver as atividades do casal e aproveitar um pouco daquilo que elas estão encarando.

Foto: Weverson Nascimento

Espaço foi montado, com ajuda de familiares, pensando na otimização de cada centímetro

Fotos: Cedidas

Farol de Santa Marta, em Santa Catarina, foi uma das paradas


Cadelas Bolinha, Francisca e Moah fazem companhia na viagem

 

Veja também