Centro de hemodiálise

Toninho Moré

COLUNA - Toninho Moré

Data 08/10/2021
Horário 03:15

A administração pública de Presidente Epitácio está anunciando para o dia 14 de outubro a inauguração de Centro de Hemodiálise na cidade. É uma conquista epitaciana que envolve muitas pessoas. Uma delas é Sérgio Maurício Xavier, o “Felão”, que morreu em 2015 aos 58 anos. Era um paciente com problemas renais.

A IDEIA DA CRIAÇÃO
Desde que se descobriu com problemas renais crônicos, “Felão” começou a passar por sessões frequentes de hemodiálise e, para tanto, tinha que viajar para Presidente Prudente, quase 100 quilômetros distante de sua cidade. Essa realidade mostrou ao paciente, que havia a necessidade de se ter um centro de hemodiálise em Presidente Epitácio. 

ALERTA DE TRABALHO DE “FELÃO”
Para receber a hemodiálise, ele preferia viajar para Presidente Prudente com seu próprio carro e ia sozinho. Imaginou, que se para ele aquilo era um martírio, percorrer distância grande, imaginem para os pacientes que iam de ônibus e precisavam esperar até o final de tarde para o retorno. Fez então um alerta sobre a necessidade de Presidente Epitácio ter o seu centro próprio. Aí começou a luta. 

SONHO DEPOIS DE 6 ANOS 
O desejo de Felão está sendo realizado agora, com a inauguração do centro. Uma outra luta se abriu. Amigos, admiradores e familiares de Sérgio Maurício pediram para a Câmara Municipal e administração pública, para que o centro tenha o seu nome, mas existe resistência. Muitos não sabem o porquê!

EPITACIANO DA GEMA
Sergio Maurício Xavier é natural de Presidente Epitácio, músico e ambientalista. Amava a sua cidade como poucos e ferrenho defensor da natureza. Não tem nada que desabone ser homenageado por algo que a própria saúde lhe fez abrir um sinal de alerta e desenvolver uma campanha que agora vai favorecer outras pessoas que precisam de hemodiálise. Seria algo justo e bem doméstico, para uma cidade que tem essa peculiaridade de amor próprio, de valorização dos seus, da sua cultura e da proteção de seus bens naturais.

E DIGO 
Através dos tempos, sempre achei que “pioneiros” eram apenas as personalidades políticas ou autoridades. Agora não. Pioneiros são todos aqueles que chegaram primeiro e, independentemente da posição social, realizaram algo pela comunidade. Isso também cabe a famílias. Não somente as ricas são as tradicionais, mas também as de menores poder aquisitivo. Pioneirismo e tradição não têm distinção de classe financeira. 

FALTA DE MÉDICO
Em Presidente Venceslau, três vereadores se referiram à falta de médicos em postinhos de saúde na periferia. Todos eles argumentaram que a queda de contágio da Covid aumentou a demanda do atendimento, mas falta os profissionais e isso acaba gerando uma queixa generalizada na população.

VEREADOR COM CABELO ROSA
Na última sessão ordinária da Câmara Municipal de Presidente Venceslau, o vereador Bahia estava com o cabelo cor de rosa. Bahia pinta o cabelo conforme as cores das campanhas nacionais. Neste mês estamos no "Outubro Rosa", que combate o câncer de mama. É uma atitude bacana do vereador, que se despe de preconceitos e entra de peito e alma nos temas de proteção de saúde à população.

ESCOLA ISABEL CAMPOS
A escola Isabel Campos de Presidente Venceslau está recebendo matrículas para o ano de 2022 para a sexta e sétima séries no período da manhã. A diretoria informa que será realizado sorteio se o número de interessados superar o de vagas oferecidas. Procure a escola e obtenha mais informações.

RECLAMAÇÃO DOS LOJISTAS
O vereador Wilson Hirakawa (PSDB) vem recebendo queixas de comerciantes que estão intrigados com a maneira que vem sendo feita a limpeza do calçadão na Praça Nicolino Rondó. Disse que o Seamma, secretaria que cuida do meio ambiente e limpeza da cidade, vem utilizando um assoprador para tirar sujeira do local e simplesmente transfere a mesma para as lojas que estão aberta do outro lado da rua. Limpar com soprador é mesma coisa que efetuar faxina com espanador. A poeira levanta e assenta de novo. 

COMBUSTÍVEIS COM PREÇOS ALTOS 
Presidente Venceslau é uma cidade com muitos veículos e a reclamação dos donos de carro é generalizada. Os preços do álcool e gasolina estão fora da realidade. Quem utiliza o carro para o trabalho é que mais reclama. Para se locomover numa cidade igual a Presidente Venceslau indo a vários pontos, os gastos com gasolina são de R$ 70 a cada dois dias. Não está fácil.

Veja também