Enfermagem é referência para qualquer profissão e ambiente

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 11/07/2021
Horário 04:22
Foto: AI do HR
Thaynná enfatiza que não se formaria em outra profissão
Thaynná enfatiza que não se formaria em outra profissão

Para Thaynná Garcia Carvalho, 26 anos, enfermeira da ala de UTI adulto do HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo de Presidente Prudente, a importância do enfermeiro é diária, pois ele é referência para qualquer profissão e ambiente, pois envolve a ciência do cuidado. “Quando a gente cuida temos a nossa ciência. O cuidado fica mais especializado. É uma profissão muito desafiadora, pois lidamos com pessoas e situações diferentes todos os dias. Não cuidamos só do paciente. Temos que cuidar de todos os outros profissionais da enfermagem, dos técnicos, dos auxiliares, de toda a gestão, seja da clínica, da UTI. Precisamos planejar como vamos executar tudo isso. É desafiador termos que nos reinventar e, às vezes, imprevistos acontecem, foge da rotina, mas a gente vai lá, pensa, volta e faz de novo”, expõe a enfermeira.
Por ficar muito na UTI, Thaynná diz que não consegue ver muito o pós dos pacientes, então, sempre que ouve uma notícia da alta de alguém, isso a deixa extremamente feliz. “É quando a gente tem a certeza de que deu certo. Que está dando certo o que estamos fazendo, todo o trabalho em conjunto. Dois pacientes me marcaram demais nesse tempo. Uma jovem de 26 anos, que participei da sua intubação e alta, onde ela disse a mesma frase: ‘consegui voltar para o meu filho’. E um senhor de 65 anos, um dos primeiros pacientes que cuidei, quando a gente ainda não sabia muito bem com o que estava lidando. Ele ficou muito grave durante 30 dias dentro da UTI e conseguiu alta. Ver que naquele começo incerto estávamos fazendo o certo foi muito gratificante”, exalta.

Ciência e qualidade

Thaynná enfatiza que fazer enfermagem é maravilhoso. E que não se formaria em outra profissão. Ela brinca que todo mundo quando é pequeno diz que quer ser alguma coisa quando crescer. E ela sempre quis ser enfermeira. “Eu sempre quis cuidar do próximo. Cuidar com ciência e qualidade. O enfermeiro não é só aquele que punciona uma veia, ele faz toda parte por trás, planeja, tem cuidado, coordena a equipe, executa com qualidade. É um trabalho integrado e que complementamos um ao outro dentro da equipe!”, exclama a enfermeira.
Na casa da Thaynná é praticamente todo mundo fator de risco, então o receio de contrair a Covid-19 é muito grande. “Eu sempre tive muito cuidado, mas agora muito mais. O sapato que uso no hospital, não saio com ele daqui. Tomo banho antes de ir para casa. Lavo os cabelos todos os dias, tudo para eliminar o máximo de risco possível e me tranquilizar mais”, revela.

SAIBA MAIS

Enfermagem: uma tarefa árdua a cada plantão!

Enfermeiros: profissionais cruciais aos pacientes

Veja também