Guri: um projeto que transforma a vida de crianças e jovens

EDITORIAL -

Data 04/08/2021
Horário 04:15

Há mais de duas décadas, quando foi criado pelo governo de São Paulo, o Projeto Guri tinha como objetivo principal promover a educação musical e a prática coletiva de música, entre seus alunos. Começou de maneira tímida, com o ensino gratuito de alguns instrumentos em poucos municípios do Estado. Hoje, somente na região de Presidente Prudente, são 31 polos que, com todo o trabalho desenvolvido durante o ano, conseguem além de resgatar a cidadania de crianças e jovens, descobrir novos talentos e ainda atuar na prevenção da violência. Ao invés de estarem na rua, por exemplo, aprendendo o que não presta ou fazendo coisa errada, estão ali, dedicando parte do seu tempo à cultura.
Quem se matricula no projeto tem a oportunidade não só de adquirir conhecimento e ganhar um destaque no currículo, mas até futuramente, quem sabe, investir na carreira. Neste período de pandemia, então, dá pra unir o último ao agradável. Aproveitar o tempo em casa para aprender e se dedicar!
O período de inscrições, conforme divulgado hoje, em O Imparcial, segue até o dia 20 de agosto, de forma online. Mais de 1,3 mil vagas estão sendo oferecidas na região, para 30 cursos gratuitos de música, no contraturno escolar.
Para participar é simples. Não é preciso ter conhecimento prévio de música, instrumento e nem passar por seleção. Basta que o interessado – tendo este entre 6 e 18 anos de idade incompletos - esteja matriculado em qualquer instituição de ensino, seja ela da rede pública ou particular. Outro aspecto interessante é que o aluno não precisa ter o instrumento para participar dos cursos, ou seja, o projeto já disponibiliza todo o material necessário.
As aulas terão início no dia 9 deste mês e, independentemente do retorno presencial, alunos e alunas terão acesso às aulas e atividades por meio da plataforma de ensino a distância. Em razão da pandemia, o projeto seguirá, por enquanto, de modo remoto.
Novidades sobre o Guri são divulgadas constantemente na mídia. Muita gente, porém, ainda desconhece a importância e o funcionamento do projeto. Para começar, não há distinção. Qualquer criança ou adolescente que queira participar das aulas é bem recebido, permitindo que pessoas de diferentes raças ou classes sociais se interajam e estudem juntas. Meninos e meninas antes discriminados pela sociedade passam a se apresentar ao público e a receber aplausos e elogios, antes raramente ou nunca vistos. 
Ao invés das drogas, têm-se os instrumentos. No lugar da marginalidade, a disciplina. As ruas? Só se for para apresentações! Por ano, no Estado, são cerca de 50 mil alunos atendidos, em quase 400 polos de ensino. Um projeto que transforma vidas... um projeto digno de aplausos!
 

Veja também