Cartilha orienta sobre os tipos mais comuns de golpes

Material desenvolvido por investigadora de polícia de PrudenteP traz dicas para que comunidade não caia na lábia de estelionatários

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 29/03/2020
Horário 09:39
Reprodução/Facebook - Barbara selecionou e reuniu os golpes mais comuns praticados na internet Foto: Reprodução/Facebook - Barbara selecionou e reuniu os golpes mais comuns praticados na internet

São constantes as ocorrências envolvendo estelionato. Os alvos dos criminosos, na maioria das vezes, são os idosos que, devido à ingenuidade, acabam caindo na lábia dos bandidos. A fim de evitar que mais e mais pessoas sejam vítimas de golpes, a investigadora de polícia, Barbara Camapum, da CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Presidente Prudente, desenvolveu uma cartilha com orientações sobre os frequentes tipos de golpes praticados pelos estelionatários.

“No ano passado tivemos um boom de estelionatos praticados na internet”, afirma a investigadora. Ela conta que os jovens estão “mais acostumados” a saber que por trás da tela do computador pode haver um criminoso, algo que não é muito lembrado pelos idosos. “Existe a chavinha da desconfiança no nosso cérebro, porém, os mais velhos acabam confiando mais nas pessoas”, explica – a tal da ingenuidade, que pode explicar a frequência de crimes contra esse público

Ao perderem o dinheiro, segundo Barbara, os idosos se sentem culpados por terem sido vítimas. “Eles viram pra mim e falam: ‘desculpa por estar te dando trabalho’”, lembra. “Algumas vezes, conseguimos restituir o valor, mas não a tristeza”, explica a investigadora, trabalho que pode durar até um ano. Isso porque muitos estelionatários agem de outros Estados, o que demanda tempo no trabalho de investigação da Polícia Civil.

“GOLPE? TÔ

FORA!”

Com linguagem simples e de fácil compreensão, o material intitulado “Golpe? Tô fora!” pode ser acessado gratuitamente nas plataformas digitais. A arte, feita pelo publicitário Tarcísio Duarte Coelho, contou com o apoio do investigador de polícia, Cezar Naim Wehbe, que a ajudou em todas as etapas do projeto. O material apresenta maneiras de identificar 12 golpes mais frequentes na região (veja abaixo), investigados durante os cinco anos de trabalho de Barbara. 

Vale lembrar que os bandidos sempre estão criando novos meios de tirar dinheiro, até mesmo aperfeiçoando os já existentes – inclusive, usando a pandemia do novo coronavírus para subtrair cartões bancários em residências. Diante disso, a cartilha torna-se um material obsoleto, e pode ser atualizada futuramente. “Estamos abertos a palestras sobre o tema e em busca de parcerias para distribuir o material físico a toda a comunidade, em especial, aos idosos”.

SERVIÇO

Os interessados em palestras sobre o conteúdo do ebook podem contatar a assistente social da Delegacia de Polícia de Proteção ao Idoso, pelo telefone 3221-9100, pessoalmente (após o período de isolamento social) na Avenida Antonio Canhetti, 835 – Jardim Cambuy ou pelo email idoso.pprudente@policiacivil.sp.gov.br. A cartilha pode ser baixada pelo endereço: (https://drive.google.com/file/d/11IZs_0iuT8pj1jUayzdI5_dgNNl9_Zgc/view?usp=sharing).

GOLPES MAIS COMUNS

- Golpe do bilhete

- Golpe do falso sequestro

- Golpe do parente que quebrou o carro

- Golpe do cartão bancário clonado

- Golpe do intermediador de vendas

- Golpe do Whatsapp clonado

- Golpe do falso boleto

- Golpe do falso site

- Golpe dos falsos fiscais

- Golpe do falso namorado

- Golpe da troca de cartão

- Golpe do coronavírus

Publicidade
eixosp

Veja também