Movimento em ponto de tráfico chama atenção para denúncias

  • 09/11/2019 04:01

A regra é clara: tudo deve ocorrer de modo sigiloso. Na hierarquia do tráfico de drogas, os “pequenos traficantes” (aqueles que adquirem o produto para revenda) não têm muitas opções de escolha para atuarem no negócio, e na maioria dos casos, optam pelas próprias residências para a fragmentação e comercialização dos entorpecentes. Isso pode ser verificado nas diversas ocorrências noticiadas por este diário ao longo do ano. Seja durante o dia ou à noite, não existe tempo ruim para o intenso “entra e sai” nesses estabelecimentos – se é que assim podemos denominá-los.

E é claro que todo esse movimento chama a atenção da vizinhança, que se sente incomodada, e, ao mesmo tempo, receosa em comunicar às autoridades policiais. Afinal, é tanta gente desconhecida no entorno, que a resistência para fazer a denúncia aparece devido ao medo de possíveis represálias dos traficantes. Mas existem aqueles que deixam a tensão de lado e comunicam as forças da polícia, que têm obtido êxito em prender os traficantes, principalmente aqueles que atuam nas periferias, assim como vem ocorrendo em Presidente Prudente.

Nesta semana, a Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) desmontou dois pontos em que ocorria a venda de drogas. O primeiro foi na terça-feira, no Parque Primavera e, na quinta-feira, no Jardim Santa Mônica. Em ambas as ocorrências, os policiais estiveram com equipes de monitoramento e apoio que passaram a observar o intenso fluxo de pessoas ao redor das residências. Em uma delas, também havia um veículo que era utilizado para entregar as encomendas. A descoberta desses locais só foi possível graças à coragem da comunidade em denunciar, o que monstra a confiança na polícia.

Para aqueles que não querem se identificar, a Polícia Civil do Estado de São Paulo disponibiliza o telefone 181 e, na plataforma online, o WebDenúncia. As ferramentas funcionam durante 24 horas por dia, e foram criadas para garantir ao cidadão a manutenção do anonimato e o sigilo das informações fornecidas. É por meio dessa parceria que se leva à prisão dos traficantes e, consequentemente, às reduções dos índices criminais.