Isadora Crivelli - Fila de eleitores na 402ª ZE dobrava a esquina na manhã de ontem

Foto: Isadora Crivelli - Fila de eleitores na 402ª ZE dobrava a esquina na manhã de ontem

CARTÓRIOS ELEITORAIS

Movimento intenso marca último dia do cadastramento biométrico

  • 20/12/2019 06:35
  • PEDRO SILVA - Especial para O Imparcial

Ontem foi o último dia para o cadastramento biométrico, e os cartórios eleitorais precisaram lidar com filas dobrando esquinas em Presidente Prudente. As unidades atenderam em horário estendido, das 8h às 18h, para suprir a demanda de eleitores. Para aqueles que não fizeram a atualização, o título será cancelado, o que poderá acarretar em problemas para emissão de passaportes, matrícula em instituições de ensino superior, financiamentos, além de multa aplicada.

A chefe do cartório da 402ª Zona Eleitoral, Letícia Macoratti de Castilho, declarou que, mesmo com campanha aberta para a realização da atualização, durante meses não houve procura expressiva para a realização do cadastramento. “Nesta semana, de segunda-feira até hoje [ontem], que nós começamos a perceber um aumento no movimento”, acrescentou. Letícia pontua que, apesar da grande demanda em um tempo muito curto, 80% do eleitorado foi cadastrado biometricamente.

“Mesmo trabalhando com agendamento, o movimento está bem corrido”, explicou o analista judiciário Leonardo Martins, do cartório da 182ª Zona Eleitoral, que responde pelas cidades de Alfredo Marcondes, Álvares Machado, Anhumas e Santo Expedito. “Na medida do possível nós tentamos atender a todos”, comentou. Devido à alta demanda, o cartório deu prioridade a moradores de fora de Presidente Prudente, encaminhando os prudentinos para suas respectivas zonas eleitorais.

Ainda segundo Leonardo, na quarta-feira foram feitos por volta de 170 cadastramentos. “Se você tiver o título cancelado, até pode regularizar, porém, terá um trabalho maior”.

O VELHO COSTUME

DA ÚLTIMA HORA

Na frente da 182ª, um cartaz bem humorado foi fixado, “parabenizando” aqueles que deixaram para a última hora o cadastramento biométrico. “A correria e a tradição do brasileiro de deixar tudo para a última hora, me fizeram vir só hoje [ontem]”, disse de forma humorada o empresário Ronaldo de Sousa, 50 anos, que estava a 10 minutos na fila de espera.

Nubio Eufrasio da Silva, 38 anos, é agente penitenciário, e fez o cadastramento biométrico em outubro, porém, sua esposa ainda não tinha feito o mesmo, o que o levou a aguardar na fila por mais de duas horas ontem.

“Olha, a minha postura foi bem irresponsável, de deixar para a última hora, e ainda não agendar”, pontuou o estudante Felipe Porangaba, 22 anos. Ele disse que as consequências também amedrontam, apesar de ser possível resolvê-las.