“Bravos Prudentinos de 32”

Sinomar

COLUNA - Sinomar

Data 11/07/2020
Horário 04:50
Capitão PM Vitor José Bazzo veste a farda da Força Pública Paulista Capitão PM Vitor José Bazzo veste a farda da Força Pública Paulista Imagem: Capitão PM Vitor José Bazzo veste a farda da Força Pública Paulista

Vitor José Bazzo, capitão PM, presidente do Núcleo de Presidente Prudente “Bravos Prudentinos de 32”, da Sociedade de Veteranos de 32 MMDC, veste a farda da Força Pública Paulista, que lutou pela Revolução Constitucionalista em 1932, igual à utilizada por seu avô, que foi combatente e lutou na frente leste.

HISTÓRIA
Neste mês, comemoramos a participação expressiva de Prudente na Revolução de 1932. Coronel Miguel Brisola de Oliveira comandou o Batalhão Prudentino, que lutou com mais de mil homens numa épica batalha na região de Ourinhos, defendendo o Estado de São Paulo contra as forças ditatoriais às margens do Rio Paranapanema. Nicolau Maffei, Firmino Leão e Casemiro Dias, que são nomes de rua hoje na cidade, estão entre os combatentes que perderam a vida na trincheira. 

MMDC
Quem não se lembra de ter estudado sobre os primeiros mártires a tombarem pela causa legalista, dia 23 de maio de 1932, durante a histórica manifestação em prol da Constituição, na Praça da República, em São Paulo? Naquele dia morreram Martins, Miragaia, Drausio e o prudentino Camargo, cujos sobrenomes deram símbolo à sigla da resistência, MMDC. 

O QUE FOI 32?
Os historiadores explicam: O movimento de 1932 foi uma revolução. Mas não foi uma tentativa de separar São Paulo do Brasil, nem derrubar um governo. Foi um movimento idealista, para que no Brasil se votasse uma Constituição. O governo ditatorial de Getúlio Vargas havia abolido as instituições do Legislativo e manietava o Judiciário. Famosa ficou a frase do ditador: "Para os amigos tudo, para os inimigos a lei". O lema da revolução "Pro Brasilia Fiant Eximia", em latim, ou "Pelo Brasil faça-se o melhor", demonstrava que se visava uma constituição para unir o Brasil sob a égide de uma lei maior.

LÍDER
Tenente Coronel Miguel Brisola de Oliveira era comandante do Batalhão de Presidente Prudente e foi o responsável pela formação e organização. Em homenagem, seu nome foi dado ao Parque de Uso Múltiplo.

ETERNIZADO
Major Médico Domingos Leonardo Ceravolo foi chefe do serviço médico do batalhão prudentino. Atualmente, seu nome foi dado ao HR (Hospital Regional) de Presidente Prudente.

BOM DIA
“(...) Que a música que eu ouço ao longe, seja linda, ainda que triste./ Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade./ E que essa tensão que me corrói por dentro, seja um dia recompensada./ Porque metade de mim é o que eu penso, mas a outra metade é um vulcão./ Porque metade de mim é amor, e a outra metade... também”. (Trechos de Metade, de Ferreira Gullar)


 

Veja também