“Cada dia que passa e você vê que fez o seu 100% é uma vitória”

Gabriel Escobar, atleta de fisiculturismo

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 29/08/2021
Horário 05:20
Gabriel está prestes a se formar em Nutrição, o curso que escolheu para alinhar com o esporte que se apaixonou há nove anos, o fisiculturismo
Gabriel está prestes a se formar em Nutrição, o curso que escolheu para alinhar com o esporte que se apaixonou há nove anos, o fisiculturismo

O Jovem de fala articulada, bastante comunicativo, com apenas 22 anos, Gabriel Escobar, que compete hoje no 51º Campeonato Brasileiro de Fisiculturismo e Fitness, após ter sido selecionado no Estadual de Fisiculturismo IFBB MS sabe bem o que quer da vida. Ele cursava Educação Física, mas de repente resolveu trocar de curso. Por quê? Vamos ler juntos esta e outras coisas bacanas sobre esse jovem atleta do fisiculturismo e desfazer essas rugas que de repente se formaram ai entre suas sobrancelhas? É você vai descobrir ou ter a certeza de que o esporte nada mais é que uma das maiores artes que a vida precisa!

 

Por que você resolveu trocar a Educação Física pela Nutrição? 
Além do esporte tenho outras atividades que estão relacionadas ao esporte indiretamente, tanto que a minha escolha para fazer uma faculdade foi muito influenciada pela minha entrada no mundo esportivo. Então, primeiro fiz um ano e meio de Educação Física. E acabei trocando por Nutrição, que a propósito estou no último ano na Unoeste (Universidade do Oeste Paulista). E o que teve muito peso nessa decisão foi exatamente essa minha inserção na área do fisiculturismo. Porque pensando como atleta fisiculturista, a ciência da nutrição está andando muito junto. O poder que uma alimentação tem para mudar o físico e melhorar o desempenho de um atleta de fisiculturismo é imensa.

 

Vamos voltar no tempo um tiquinho mais? Há quanto tempo se dedica ao fisiculturismo? 
Há nove anos. Dedico-me a ele desde os 13, quando iniciei numa academia de musculação. Na verdade quando iniciei eu não tinha uma visão de ser um atleta, eu entrei na academia porque eu queria somente melhorar a minha condição física, que sempre fui muito magrinho. Tanto que na época eu tinha 49 kg (quilos), e hoje estou com 75 kg. Então lá no início era essa a minha ideia, evoluir a minha capacidade física, mas conforme você vai evoluindo, conhecendo um pouco mais sobre essa atividade que é a musculação, acaba se interessando um pouco mais sobre ela e querendo aprender cada vez mais. Então foi mais ou menos nessa linha, nesse sentido que eu comecei a me interessar pelo esporte. Minha primeira competição foi aos 17 anos

 

O que o motivou mais?
Algo que me incentivou mais a entrar no esporte foram as companhias as quais eu estava sempre próximo. É bem aquela frase: ‘me diga com quem tu andas e eu te direi quem és’, cabe bem a mim nesse contexto (risos). Sempre estive rodeado de amigos que já eram atletas, treinadores de fisiculturismo..

 

É preciso muita dedicação, abdicação de muitas coisas “boas” da vida para chegar ao resultado almejado?
Com certeza. Dedicação e força de vontade. Você precisa se abdicar de muita coisa não relacionada somente a alimentação, mas também a aspectos sociais. Porque um atleta de modo geral, mas pensando neste momento no de fisiculturismo, ele precisa estar diretamente ligado a tudo que envolve sua rotina. Por exemplo, a alimentação é algo que a gente faz por várias vezes ao longo do dia. Não é somente comer porque estou com fome ou algo que eu gosto. Mas, é pensar no aspecto de socialização. 

 

 

Como assim, explique, por favor.
Às vezes, familiares ou amigos te convidam pra confraternizar, comer em algum lugar e você simplesmente precisa fazer essas pessoas entenderem que você não pode. Que você está em uma preparação para um campeonato. Que tem uma dieta a ser seguida. Todos esses aspectos acabam sendo um pouco complicado, não para o atleta, mas para as pessoas conseguirem entender que aquilo não é porque você está sendo chato, maldoso, e sim porque faz parte do protocolo de preparação pra uma competição de fisiculturismo. Treino, igualmente. Se for diário, tem que ser todos os dias. Se não tem horário, precisa encaixar, mas tem que fazer. Hoje para ser um atleta, principalmente amador, você tem outra vida com trabalho, faculdade, como é meu caso, não vivo apenas do esporte, então se tem que realmente pensar como atleta, pessoa, ser humano, agregar tudo que envolve a parte financeira, social e esportiva e agregar dentro da sua rotina.

 

Vale a pena todo o esforço empenhado?
Com certeza! Porque não é só chegar lá na competição pegar um troféu, uma medalha no peito e ser parabenizado. Não. No esporte de fisiculturismo você o carrega com seu corpo ao longo de todo o dia. É o único esporte que não precisa falar uma palavra e as pessoas já sabem que você é um fisiculturista. Diferente de um jogador de futebol, que se ele não for famoso, ao andar na rua o seu físico não dirá nada. Então isso gera muita motivação, muita coragem para as pessoas que olham e comentam: ‘Poxa, é possível sim eu mudar o meu físico’. Eu vejo muito isso com pessoas que não estão satisfeitas com seu corpo, que querem emagrecer, ter uma vida mais saudável vê a gente treinando todo dia na academia, nossa alimentação regrada, tomam a gente como exemplo. Então isso gera motivação, engajamento e você saber que está se superando, se motivando consigo mesmo e ao mesmo tempo agregando indiretamente na vida das pessoas, simplesmente por ser uma referência é muitas vezes mais que um troféu.  Então dentro de uma preparação, cada dia que passa se aproximando de um campeonato é uma vitória. Porque cada dia você está saindo da sua zona de conforto. É uma alimentação que você não pode errar, tem horários pra comer, alimentos específicos, controlar a ingestão calórica. Então, cada dia que passa e você vê que fez o seu 100% é uma vitória.


Veja também