"Mulher Elétrica e Garota Dínamo"

DignaIdade

COLUNA - DignaIdade

Data 03/08/2021
Horário 07:01

Existem séries de TV que tiveram duração tão efêmera que acabam sendo esquecidas pelo tempo, e o seriado “Mulher Elétrica e Garota Dínamo” (Electra Woman and Dyna Girl) é um deles. Produzida pela Rede ABC de TV entre 1976 e 77, teve apenas 16 episódios que foram exaustivamente reprisados pela TVS e TV Record no início dos 80 nas manhãs de domingo. De produção precária e visual cafona, a série encantava o universo infantil pelos seus (d)efeitos especiais. As jornalistas Lori (Deidre Hall) e Judy (Judy Strangis) são jornalistas que trabalham numa revista, mas quando o perigo se aproxima, elas se transformam na Mulher Elétrica e Garota Dínamo. Usando os mais modernos aparelhos científicos no combate ao crime, como o Electramóvel que parecia uma espaçonave, as heroínas trajavam fantasias coloridas berrantes enfrentando vilões risíveis como a Imperatriz do Mal e a Lady Aranha. No final dos blocos, elas estavam sempre em situação de perigo, com o narrador dizendo: Conseguirá a nossa heroína se livrar da terrível armadilha feita pela vilã? Uma espécie de Batman dos anos 60 em versão feminina e produção trash.
    
“Fatores de risco para o câncer”

O câncer é a segunda maior causa de morte da humanidade (perdendo apenas para as doenças cardiovasculares como infarto e acidente vascular cerebral) e uma das mais temidas de enfrentamento. Por que algumas pessoas têm câncer e outras não? Por que em algumas há tanta agressividade e em outras é branda? O que devo fazer para diminuir o risco de ter um câncer? São perguntas frequentes e que envolvem respostas múltiplas, complexas e não absolutas. O câncer é o nome popular de um grupo de doenças chamadas de neoplasias que diferem conforme vários fatores: órgão acometido, idade do portador, variados e intrincados mecanismos de multiplicação celular, condições imunológicas e genéticas, e hábitos de vida da pessoa. Mais de 200 tipos de câncer com diferentes características envolvem estratégias preventivas distintas, mas com a nítida influência de estilo de vida da pessoa. Portanto, medidas preventivas gerais são impactantes, em maior ou menor grau, nos diferentes tipos de câncer. Alguns fatores de risco têm alta relação com tipos específicos de câncer, como o fumo (pulmão, cabeça e pescoço, orofaringe, base de língua e laringe), álcool (boca, faringe, esôfago, estômago e fígado), obesidade (endométrio, intestino e vesícula biliar), vírus HPV (colo de útero e amídalas) e componentes familiares (mama e cólon/reto), e a soma destes fatores aumenta ainda mais a possibilidade. Ter hábitos saudáveis minimiza o risco geral, embora não impeçam o aparecimento do câncer. Alimentação saudável, rica em grãos, verduras, legumes e frutas evitando alimentos prontos, com conservantes, aditivos e produtos químicos influenciam na incidência. Exposição prolongada a radiações ionizantes, exposição profissional a substâncias químicas, inatividade física, também colaboram no surgimento. Idosos possuem 11 vezes mais chances de desenvolver neoplasias que os adultos mais jovens. Estudos projetam que em poucos anos, os idosos serão responsáveis por 60% dos novos casos de tumores e por 70% das mortes pela doença. O acúmulo de exposições ao longo da vida e as alterações biológicas do envelhecimento aumentam o risco. Previnam-se e realizem consultas periódicas. 

Dica da Semana

CD – Música 

Ney – 80 anos: 
Gravadora Warner Music. Ainda em pré-venda, este CD é uma coletânea de raridades gravadas por Ney Matogrosso que completou agora 80 anos de vida exuberante. A seleção inclui 16 canções de sucesso, como “Bandido Corazon” e “Bandolero”, e as duas primeiras músicas gravadas por ele em 1970 num compacto em que ele ainda assinava apenas Ney: “Tema de Maria” e “A Estrada Azul”.
 

Veja também