Seletiva para Tóquio: Jerusa  e Gabriel cravam 11”99

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 10/06/2021
Horário 06:00
Com marca de 11”99, Jerusa assume o primeiro lugar no ranking mundial T11 feminino
Com marca de 11”99, Jerusa assume o primeiro lugar no ranking mundial T11 feminino

Em seletiva para Tóquio, que começaram na manhã de terça-feira e seguem até sábado, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, a velocista paralímpica Jerusa Geber dos Santos (classe T-11) e Gabriel dos Santos Garcia conquistaram a melhor marca pessoal do ano com 11”99, confirmando a boa fase e a ida para os Jogos Olímpicos, no Japão. E com essa marca... assumindo o primeiro lugar no ranking mundial T11 feminino.
“Como treinador já esperava por esse resultado, o que acaba dando bastante segurança ao atleta, mas a Jerusa gosta de deixar acontecer primeiro para depois comemorar. Ela está muito bem no momento e a tendência é melhorar mais até os Jogos. Como no primeiro tiro ela já correu muito bem, a gente decidiu que não precisaria correr mais. Então eles ficam em São Paulo para tomar a segunda dose da vacina e na segunda-feira retornamos para Presidente Prudente e de volta aos treinamentos com foco nos Jogos”, expõe o treinador e esposo da atleta Luiz Henrique Barbosa da Silva.
Sobre como lidar com este período e manter os treinamentos e uma vida “normal”, Luiz diz que o #timedajerusa, a linha de frente sempre foi na base do improviso, muito confiante em seus trabalhos. “E a fé não pode faltar. E mesmo nesse tempo de pandemia a Jerusa não perdeu praticamente nada do seu desempenho. Pelo contrário, eu como treinador vejo que ela tem avançado. Está melhor ainda e no momento certo vai correr ainda mais. E em Tóquio acreditamos que ela possa, inclusive, superar esse recorde mundial [11"85].”, destaca o treinador.

Na reta do Japão

Agora nessa reta final Luiz diz que farão apenas uns ajustes para os Jogos Olímpicos. Sobre as concorrentes mais perigosas, as mais fortes dela ele afirma serem as chinesas, por isso ela tem que chegar lá muito bem. E menciona que nem dá para usar como parâmetro porque elas não competiram. O importante é pensar em se superar, e se superando, superam-se as concorrentes!
“A ansiedade dos atletas na primeira competição é sempre natural. Um ano e meio sem competir. A última competição foi o Mundial em Dubai. Mas foi tudo muito bom. Voltamos segunda e satisfeitos com os resultados da seletiva. Lembrando que essa é a quinta vez que Jerusa corre os 100 metros na casa dos 11 segundos. Ela é a única atleta da classe dela que corre nesse tempo, as demais dentro dos 12"", destca o treinador.

 

Foto: Cedida - Como correram bem no primeiro tiro decidiram que não precisavam correr mais

 

Veja também