A lógica e a fé em tempos de pandemia

OPINIÃO - Saulo Marcos de Almeida

Data 27/04/2021
Horário 04:30

Uma das disciplinas introdutórias quando estudei teologia foi a filosofia e, um dos conteúdos, a lógica: serve para pensar corretamente. Lembro que o intuito do aprendizado era fornecer ao estudante condições para argumentos racionais, analíticos/definição de elementos lógicos que fundamentam o conhecimento verdadeiro (Aristóteles). 
Passados tantos anos e vendo tanta gente morrer deixando filhos pequenos, viúvas, pais e tanto sofrimento, perguntei a Deus dias atrás, como ser humano qualquer e aprendiz da disciplina chamada vida: Senhor, qual é a lógica disso tudo que estou/estamos vivendo? Ajudei, recentemente, a sepultar um moço de 43 anos, gente muito querida. Seu filho de 10 anos, que chorava de partir o coração, dizia-me: eu quero ir com meu pai, pastor. Qual é o raciocínio, Senhor?
Depois de silêncio contundente e ausência de resposta, lembrei que a lógica dEle é muito diferente da minha, extremamente diversa e, infinitamente superior, comparada à simples razão humana. Para Deus, o último é primeiro; o sábio é o louco; o forte é o fraco; o pobre é o verdadeiro rico; o que chora é feliz; o adulto que deseja herdar o céu deve ser tornar como uma criança e pouco mais recordei: Tudo que é impossível para os homens é possível para Deus (Lucas 18.27). Onde está a lógica, perguntei uma vez mais? Acolher, pela fé, os mistérios de Deus.   
Não quero e nem tão pouco desejo explicar a fé ou mesmo a Deus que me envolveu em seu amor. Jogo-me, simplesmente, nos braços dEle e experimento o crer com todos os sofrimentos, porque Ele sofre comigo. Ele está triste com tanta dor, não tenho dúvida nenhuma! Como dar logicidade/significado aos milagres de Deus? Entendendo, primeiramente, que os mesmos são exceções e não regras: no tanque de Betesda apenas um foi curado. Não posso e não devo adotar a ideia de que toda a situação dramática da vida Deus vai fazer um milagre. Faz/fará se for o plano dEle, mas nesse mesmo sentido é possível que não realize milagre nenhum. Porque os caminhos de Deus não são os meus caminhos e nem os pensamentos de Deus são os meus pensamentos. Aonde está a lógica? Não há e não a encontro. 
Outra coisa: a oração. Oro para mudar o que sou e o que faço, para qualificar-me como cristão. Mas, não devo orar para domesticar Deus, pois Ele não está a meu serviço! Quantas vezes orei por alguém com fervor e dedicação pedindo um milagre e, em seguida, a pessoa morreu/partiu. Oro para mandar embora a forma equivocada de achar que posso manipular Deus.
Por fim, por que devo acreditar que, como cristão estou blindado de quaisquer sofrimentos, como se especial de alguma forma eu fosse ou tivesse a pretensão de sê-lo? Estou de passagem e quando Deus me chamar também viverei a minha Páscoa (meu passamento) porque sei com certeza absoluta que sou pó e para o pó retornarei. 
Aguenta filho! Deus me disse e isso é de fácil compreensão. Esqueça a tal lógica humana e abrace a fé e a esperança, até que o amor te faça experimentar para sempre a eternidade. 
Pare de tentar ser lógico/racionalista e creia: Estou contigo! 
Levanta e anda, disse Deus para mim. Entendi mais uma vez, que essa dádiva também é milagre de vida! 
 

Veja também