A palavra de Deus gera vida nova

Diocese Informa

COLUNA - Diocese Informa

Data 03/04/2022
Horário 05:40

A Quaresma é o tempo para nos indagarmos: para onde estou indo? Rever os próprios passos é o começo da transformação pessoal. A cada ano, neste tempo oportuno, a Liturgia tem o objetivo de nos tirar da correria diária. Infelizmente, somos levados pelo cotidiano a nos afastarmos da essência a que fomos criados. A cada domingo da Quaresma nos é apresentado um Evangelho propício à reflexão. Começando pela narrativa sobre a tentação sofrida por Jesus no deserto, vemos o demônio que tenta seduzi-Lo com propostas diversas, pondo-O à prova. Vigiemos para não sermos enganados. Temos também, na sequência dos domingos, a Palavra de esperança que retrata a Transfiguração de Cristo, convidando-nos a mergulharmos no Mistério da Luz Divina. No 3º domingo somos questionados sobre qual lugar Deus ocupa em nossa vida, levando-nos a refletir sobre nossa adesão à Pessoa de Jesus e se estamos realmente vivendo a intima comunhão com Ele. Está explícito nesse Evangelho que, quando as coisas do mundo ocupam o lugar de Deus perdemos a vida, a paz e a liberdade. O penúltimo domingo nos mostra o pai e seus filhos. Essa Liturgia deve nos confrontar profundamente: quem somos: o filho que pensa ser autossuficiente e não precisa de Deus ou aquele que se julga melhor que os outros, por estar cumprindo seu dever de cristão? Deus é o Pai Amoroso e paciente que espera, acolhe e não abandona os que permanecem Nele. O último domingo nos mostra um encontro entre a miséria humana e a Misericórdia. Quando o arrependimento é sincero, o perdão é absoluto. Esse Evangelho nos mostra que não somos melhores que os outros, apenas pecamos de forma diferente. Pecado é sempre pecado, cada um tem os seus, por isso não devemos julgar quem peca diferente de nós. A oração, o jejum, a penitência e a meditação da Palavra de Deus são meios de crescimento espiritual e conversão. Olhemos para a Quaresma como uma excelente oportunidade de purificação interior, para que façamos escolhas que favoreçam a obra que Deus quer realizar em nós e através de nós. “Para onde irei, longe do vosso Espírito? Para onde fugir, apartado de vosso olhar?” (Sal 138, 7). Caminhamos para onde dirigimos nossos passos. Que a Virgem Maria, Senhora da Quaresma interceda por nossa conversão. (Fonte: www.cnbb.org.br/a-palavra-de-deus-gera-vida-nova/).

MINI SERMÃO:

5º Domingo da Quaresma (Jo 8,1-11)

 

Puseram sob tentação a sua justa misericórdia, pondo diante dele um escândalo. Dois olhares: acusação e misericórdia. Duas cenas: os levantados e o inclinado. Quem apedreja fica de pé. Quem perdoa se inclina. Inclinar para levantar perdoando. Jesus escreve no chão para dizer: o nome de quem acusa será escrito na terra, mas quem perdoa terá o nome escrito no céu. Desfecho: os ‘levantados acusadores’ se retiram calados, o ‘inclinado tentado’ perdoa, a ‘adúltera massacrada’ encontra a absolvição. Quem antes não se julga, não sabe julgar o próximo com retidão cristã. No final restou a miséria e a misericórdia. Que nossos encontros aconteçam no perdão. (Autor: padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Presidente Venceslau.

- Missas -

Sábado: às 18h - Capela Nossa Senhora Aparecida e às 19h30 - Igreja Matriz;                                        

Domingo: às 7h - Capela São Judas Tadeu, às 8h30 - Capela Nosso Senhor do Bonfim, às 10h - Igreja Matriz, às 17h - Capela Santa Edwiges e às 19h - Igreja Matriz

 

 

MENSAGEM DO PAPA:

Narra o Evangelho, fizeram a pergunta a Jesus: Que devemos fazer com esta mulher? O único objetivo deles era precisamente pôr à prova e armar uma cilada a Jesus. Aliás, talvez alguns deles até fossem adúlteros. Por seu lado, não obstante estivesse ali tanta gente, Jesus queria permanecer sozinho com a mulher, desejava falar ao seu coração: é o mais importante para Jesus. E o povo tinha ido embora lentamente depois de ter ouvido as suas palavras: “Se algum de vós estiver sem pecado, lance a primeira pedra”. A mulher não se proclama vítima de uma acusação falsa, não se defende afirmando: Eu não cometi adultério. Não, ela reconhece o seu pecado e responde a Jesus: Ninguém, Senhor, me condenou. Por sua vez, Jesus diz-lhe: Nem Eu te condeno... Assim Jesus para usar misericórdia vai além da lei que prescrevia a lapidação. A ponto que diz à mulher que vá em paz. A misericórdia é algo que dificilmente se compreende: não anula os pecados, porque quem o faz é o perdão de Deus. Mas a misericórdia é o modo como Deus perdoa. Porque Jesus podia dizer: mas Eu perdoo-te, vai! Como disse àquele paralítico: os teus pecados estão perdoados! Nesta situação Jesus vai além e aconselha a mulher a não voltar a pecar. (Fonte: www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2019).

 

Padre Rafael Moreira Campos

Adm. Paroquial Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Pres. Venceslau/SP

"Ouse ser o melhor. Ame!"

Instagram @padrerafaelmoreira

Facebook www.facebook.com/rafaelmoreiracampos

Informações: Cúria Diocesana (18) 3918-5000

Veja também