Adesão a cursos presencias estagna

PRUDENTE - André Esteves

Data 16/06/2017
Horário 13:10
AI do Semesp, Rodrigo Capelato defende valorização da graduação tecnológica
AI do Semesp, Rodrigo Capelato defende valorização da graduação tecnológica

A crise econômica vivenciada pelo país, a redução brusca do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) e o desemprego trouxeram reflexos negativos para a educação superior do país, afirma o diretor-executivo do Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior do Estado de São Paulo), Rodrigo Capelato. Em Presidente Prudente, o crescimento de matrículas em cursos presenciais é classificado como “pífio” pelo sindicato, uma vez que o número de ingressantes nas redes pública e privada cresceu 0,3% em 2015, o que corresponde a 33.953 inscrições.

Deste total, 25.752 (0,1%) foram para instituições privadas e 8.201 (1,0%) para públicas. Os números consideram o período mais recente analisado e englobam as 53 cidades que compõem a região, formada atualmente por 13 unidades privadas e quatro públicas. Entre os municípios, a maior efetivação de matrículas está concentrada em Prudente, com 71%, seguida de Adamantina (12%), Dracena (7%), Presidente Epitácio (4%), Rosana (2%), Presidente Venceslau (1%) e outros (3%).

Em termos de EAD (ensino a distância), a análise setorial expõe que, em âmbito privado, foram 6.564 matrículas realizadas em 2015, contra 55 na rede pública, totalizando 6.619 inscrições. Rodrigo complementa que enquanto as graduações presenciais são “longas e caras”, as de EAD são impopulares entre os jovens de 18 a 24 anos. “A saída para a crise seria criar novas formas de financiamento estudantil para atingir a classe C, que é a que tem maior dificuldade e mais tem sofrido com a redução do Fies”, considera.

 

Cursos mais buscados

Ainda conforme a análise, a RA (Região Administrativa) de Presidente Prudente dispõe de 182 cursos presenciais. Deste número, 126 estão distribuídos na rede particular, enquanto 56 na pública. Entre os mais buscados nas instituições privadas, estão Direito, com um total de 4.155 matrículas em 2015. A seguir, vem Administração, com 2.086; Pedagogia, com 2.052; e Medicina, com 1.883. Na rede pública, os mais procurados no mesmo período foram Análise e Desenvolvimento de Sistemas (482), Pedagogia (454), Agronomia (437) e Engenharia Ambiental (408). Na modalidade EAD da rede privada, destacam-se Pedagogia (2.190), Administração (633), Serviço Social (572) e Gestão Pessoal/Recursos Humanos (479). Em relação aos tecnológicos, lideram Estética e Cosmética (298), Tecnologia de Radiologia (219), Gastronomia (189) e Empreendedorismo (173). Quanto ao número de empregados com superior completo, 27.856 pessoas foram empregadas, contra 27.454 do ano anterior, o que significa uma variação de 1,5%.

AI do Semesp

Veja também