Católicos e evangélicos cuidam de pessoas em situação de rua

Pelo WhatsApp eles se uniram e se organizam e, nesta sexta, os Servos da Misericórdia, que estarão com a VEM, além de comida, disponibilizarão vacina contra a Covid-19 e também influenza

PRUDENTE - OSLAINE SILVA

Data 16/07/2021
Horário 06:30
Foto: Freepik
Voluntários se uniram em prol do próximo
Voluntários se uniram em prol do próximo

Deus é amor e prova disso é a união de voluntários católicos e evangélicos, os quais não permitem que moradores de rua passem um dia sem pelo menos uma alimentação, e juntos saciam sua fome levando, inclusive, a Tua Palavra. E eles montaram até um grupo de WhatsApp! E nesta sexta a ação de um dos grupos será ainda mais especial, pois os Servos da Misericórdia terão a companhia da VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal), que estará imunizando aqueles que tiverem documentação e dentro da faixa de imunização contra a Covid-19 e também influenza. Olha que bênção!
“A gente faz a misericórdia e não o assistencialismo, que é entregar um prato de comida e ir embora. Chamamos pelo nome, se a gente sabe o aniversário, levamos um bolinho na data. É um trabalho muito bonito. É lindo. Lindo! De repente pode parecer que estou fazendo propaganda de algo que é nosso. Mas é que é uma coisa muito legal e muito bonita mesmo. Feita com muito amor!”, diz Jairo Benvenuto, coordenador da pastoral Servos da Misericórdia, da Paróquia Nossa Senhora do Carmo, na Vila Maristela, em Presidente Prudente, que há mais de 15 anos trabalha com estas pessoas.
A diretora da VEM, Elaine Bertacco, enaltece o trabalho e diz que quem leva acha que está ajudando, mas é quem realmente sai de lá agradecido a Deus, renovado. “Cada um tem sua particularidade por ter escolhido esse ambiente de rua. Não sabemos os motivos íntimos de cada um. Eu, sendo da área da saúde, não poderia deixá-los de fora da vacinação. Estava conversando com o Jairo, quero levar um pouco dessa área da saúde para perto deles, fazer um trabalho de DSTs [doenças sexualmente transmissíveis], tuberculose. Estou muito feliz em fazer parte desse projeto incrível”, exalta a diretora da VEM.

Corrente do bem

Jairo comenta que mesmo com a pandemia, os trabalhos realizados pelas entidades não cessaram. Pelo contrário, aumentaram. Ele diz ter contatado os coordenadores da São Judas, Santa Rita, alguns evangélicos, entre outros, para montar um grupo de WhatsApp e garantir o atendimento organizado dessas pessoas de segunda-feira a domingo, sem falhar um dia. “Porque olha, hoje temos observado que tem uma quantidade enorme de pessoas em situação de rua. E, desde então, estamos mais do que unidos numa mesma causa!”, exclama o coordenador dos Servos da Misericórdia, grupo de 50 pessoas, geralmente com uma rotatividade de 30 divididos entre a rota e cozinha.
O coordenador menciona que com o grupo unificado evita-se o desperdício. Como, por exemplo, se na quinta-feira o pessoal da Catedral de São Sebastião leva 50 cobertores, na sexta a sua turma sabe que não precisa levar. Claro que acontece de encontrarem com outras comunidades que não fazem parte dos grupos que estão ali se doando, mas nada é perdido. 
“Teve uma sexta, por exemplo, que não pudemos usar nossa cozinha, entrei em contato com o pessoal da Presbiteriana, do Ana Jacinta, eles fizeram a comida, nós acompanhamos e distribuímos juntos. E foi uma coisa linda. Eles têm a doutrina deles e nós a nossa, estamos atendendo, ajudando a mesma clientela”, salienta Jairo.

Unidos pelo amor ao próximo

A missionária Fabiana Luizari Ribeiro, 43 anos, é uma das integrantes do grupo de WhatsApp. Seu projeto Unidos pelo Amor Ao Próximo iniciou há sete anos, quando ela era membro da igreja do pastor Reginaldo Nunes. Mas não tinha nada a ver com a igreja. E quando ela saiu, o levou consigo e os voluntários que começaram a procurá-la são católicos, evangélicos.
“Hoje somos em torno de 15 pessoas nessa batalha com este trabalho lindo. Bom, o Jairo já explicou como surgiu nossa união e o grupo do WhatsApp. O bacana é que nosso trabalho ultrapassou os limites apenas de ajuda de alimentação aos moradores em situação de rua. A gente acaba absorvendo outras situações. Às vezes vem um chamado de uma família que está muita necessitada. Ou entra pela página do projeto e pede uma doação. Se o projeto não tem na hora eu peço para o Jairo, peço para a São Judas. Se tornou uma corrente do bem mesmo para ajudar o próximo!”, exclama a missionária

Faça chuva ou faça sol

Todas as sextas-feiras os voluntários estão na “rota” de atendimento, que começa pela Praça da Bandeira, do Camelódromo, seguem pelo Viaduto Tannel Abbud, até a Praça Anchieta, onde está o Santuário Nossa Senhora Aparecida, finalizando na Praça dos Pioneiros, no Terminal Rodoviário Comendador José Lemes Soares,.
Jairo pontua que  tudo que fazem é à base de doação. Cada um serve ao próximo como pode. Muitos “não têm estômago” para estarem presentes diante dessas pessoas, então, doam cobertores, mantimentos, roupas, calçados. “Isso é tão pouco. Às vezes me questiono sabe? Estou fazendo isso porque é bom pra mim ou para eles? Mas não paro, sigo em frente. Eu preciso continuar”, pontua Jairo.

Misericórdia de Deus

Todo alimento servido pelo projeto de Fabiana é preparado na casa dela. Devido à pandemia, para evitar aglomeração, o grupo que serve os moradores de ruas às segundas-feiras se divide em dois, um começa na rodoviária e o outro na Praça Nove de Julho.
Fabiana comenta que essas pessoas em situação de rua não precisam de mais críticas, de desaprovação. Elas são pessoas que estão no vício das drogas, enfrentando uma doença, então, os tratam dessa forma, como pessoas que necessitam de ajuda médica, de tratamento. “O Jairo e eu trabalhamos bastante nessa parte de respaldo familiar, internação. O importante, acima de tudo, é aderir à misericórdia de Deus. Porque senão o que será de nós? Porque Ele é aquEle que dá e que tira. Ele é um Deus de querer e de efetuar em nossa vida. Tudo gira pela dependência dEle. E hoje não existe classe social. Estamos ali pra levar um pouquinho do amor, da Palavra, porque, muitas vezes, as pessoas esquecem de falar de Deus!”, acentua Fabiana.

Voluntariado

SEGUNDA-FEIRA
Projeto Unidos pelo Amor ao Próximo - Fabiana
Projeto Restaurando Vidas - Jack

TERÇA-FEIRA
Paróquia São Judas Tadeu - Anderson e sua turma

QUARTA-FEIRA
Aguinaldo e alguns amigos
Renan e alguns amigos

QUINTA-FEIRA
Catedral de São Sebastião
Projeto Corrente do Bem - Lucas

SEXTA-FEIRA
Pastoral Servos da Misericórdia - Nossa Senhora do Carmo, Maristela

*SÁBADO
Este dia é feito pelo senhor Antônio, da Paróquia Santo Antônio, que, por conta de problemas particulares, não está conseguindo fazer. Junior, do Projeto Esperança, está fazendo no momento, tem pessoal, mas precisa de ajuda com mantimentos.

DOMINGO
Zé Luiz, Paróquia São José, entrega pela manhã um café da manhã;
Dirce, de Regente Feijó, serve janta um domingo sim outro não aos irmãos;
Nelson Fernandes e alguns amigos fazem o outro domingo, com lanches e tubaína.

SERVIÇO
Para ser um colaborador clique no link abaixo ou adicione o Whatsapp: (18) 99129-4258. 
https://api.whatsapp.com/send?phone=5518991294258

Foto: Cedida

grupos se unem para ajudar pessoas em situação de rua em presidente prudente

A partir de doações, todo alimento é feito e servido com muito amor por voluntários 

Veja também