Centro de Excelência revela talentos em PP

Esportes - Jefferson Martins

Data 24/09/2015
Horário 08:04
 

Para uns surge de uma brincadeira. Em outros casos, o despertar para a modalidade ocorre na escola. Há também quem viaje milhares de quilômetros para manter o sonho de brilhar no cenário mundial do atletismo. As histórias se misturam e juntos, o elenco da Fundacte/Centro de Excelência/Semepp, de Presidente Prudente, vai conquistando resultados como os do último fim de semana, quando cinco atletas foram premiados no Campeonato Brasileiro Interclubes Menor, em São Bernardo do Campo.

No elenco está Marcelo Ferreira Neves, 17 anos, que conta que aos 12 anos buscava se tornar atleta em outro esporte, mas não se arrepende da opção escolhida. "Eu gostava muito de futebol. Era o meu sonho e o do meu pai que eu jogasse, mas aí uns amigos me chamaram para uma competição de atletismo e eu fui, me destaquei e desde então não parei mais. Não me arrependo nem um pouco", lembra.

O velocista relata que o ano foi complicado devido às lesões sofridas por ele, o que dificultou seu desempenho."Cheguei meio cansado no Brasileiro. Não foi um ano fácil, mas para a próxima temporada tenho que focar e me dedicar, pois será a hora de mostrar o meu talento", fala Marcelo, que ficou com a prata nos 200 metros e ajudou o revezamento 4x400 m misto a subir no ponto mais alto do pódio.

 

Começo difícil

Willian da Conceição Santos, 17 anos, também revela um pouco de sua história. "Sou de Imperatriz e lá nós não temos investimentos no esporte. Então, fui para uma competição chamada Norte/Nordeste Mirim e um técnico de Londrina me viu e me trouxe para cá", conta.

O atleta fala que a sua primeira competição não foi nada fácil, mas foi nela que descobriu o que queria fazer para o resto da vida. "Meu técnico tinha um time de futebol de areia e me disse que teria uns jogos escolares e que ele queria que eu corresse para ver como seria. Corri descalço, só por correr, e bati o recorde da competição. Hoje, tenho o sonho de ser atleta olímpico e sei que vai depender só de mim, do meu foco, disciplina e responsabilidade", pontua.

No revezamento, colaboraram ainda Giovana dos Santos, 15 anos, e Maria Victória Belo de Sena, 15 anos, que prefere ser chamada só de "Victória". "Eu acho mais forte", diz a jovem, que tem no DNA o gosto pelo esporte. Ela é filha do supervisor técnico prudentino Inaldo Sena e da ex-atleta Idália Rosa Belo, mas garante: "Cresci nas pistas, mas nunca tive pressão por nada. Contudo, há uns dois anos meu pai me perguntou se era isso mesmo que eu queria. Então eu resolvi que esta seria a minha profissão", lembra.

 

Objetivos

Inaldo fala que o Centro de Excelência prudentino revela muitos atletas, mas que é preciso mais incentivo. "Desde que eu cheguei aqui em Prudente, o atletismo é reconhecido como potência, mas é necessário que tenhamos mais apoio, porque a gente tem uma galera boa, que tem muito talento", afirma. E acrescenta: "Estamos procurando parceiros para a próxima competição. Quem quiser adotar um atleta pode nos procurar", pontua o supervisor.

Veja também