Dieta cetogênica

Jair Rodrigues Garcia Júnior

Nossas células precisam de combustível ininterruptamente, pois nunca podem parar. Em geral, as células podem usar diferentes combustíveis disponíveis no corpo e consumidos na dieta. A composição mais adequada da deita é a mista, com carboidratos (CHO; 60%), gorduras (25%), proteínas (15%) e demais nutrientes que não fornecem energia, mas são igualmente importantes.

HIERARQUIA DE PREFERÊNCIA
Não por acaso, mais da metade da energia consumida deve ser na forma de CHO, pois ele é o principal combustível para todas as células. Sem a glicose as células não funcionam. Por isso, há sempre glicose no sangue (glicemia) e não pode diminuir, sob pena de a pessoa sofrer tontura, desmaio, coma e morte.  

PRODUÇÃO DE GLICOSE
A glicose é tão importante que, quando o jejum se prolonga por 6 h ou mais, o fígado e os rins passam a produzir a glicose para manter a glicemia. Isso, ao mesmo tempo em que o fígado lança mão de sua reserva limitada de glicose (glicogênio) para liberar no sangue. Isto é, quando a glicose não vem de fora, precisa ser produzida pelo próprio corpo.

GORDURA: LIBERAÇÃO E USO
A gordura se constitui em nossa maior reserva de energia (100 mil Kcal), mas não é o combustível preferido das células. Sua proporção de uso se aproxima da glicose apenas em jejum (mais de 16h) e exercício (mais de 2h). Nestas condições, a quantidade de gordura no sangue é maior do que sua utilização pelos músculos, fígado, coração etc. Isso pode ser tornar um problema.  

CORPOS CETÔNICOS
Representam dois mecanismos de segurança: (1) remoção do excesso de gordura do sangue, que é utilizada para produção dos corpos cetônicos. O corpo tolera concentração alta (18mM) de corpos cetônicos, mas não de gorduras (até 2mM). (2) combustível adicional para os neurônios, que são aptos a usar apenas glicose e corpos cetônicos. Quando a glicose está diminuindo tem que haver uma alternativa.

CONDIÇÕES CETOGÊNICAS
Além das duas já mencionadas, a terceira condição é da dieta low carb, rica em gordura e pobre em CHO, que não é nenhuma novidade. Dietas cetogênicas são estudadas há 100 anos. Na década de 1970 e nos anos 2000 esteve na moda com a dieta das gorduras do Dr. Atkins. Desde então vem se mantendo em evidência apenas trocando os nomes (cada vez mais criativos). Enfim, produzir corpos cetônicos não é um benefício, mas sim uma necessidade, mesmo porque o excesso deles leva à cetose, acidose e coma. Apesar de os “especialistas em low carb” negarem, consumir CHO é muito importante.

 

Produzir corpos cetônicos não é um benefício

Veja também