Indicados aguardam confirmação para participarem de revezamento

 

Cerca de 50 pessoas irão participar do revezamento da Tocha Olímpica quando ela passar em Presidente Prudente e pelo menos 15 nomes já estão aguardando a chance de fazer parte deste momento. As histórias estão disponíveis nos sites e aguardam avaliação dos comitês dos patrocinadores: Bradesco, Coca-Cola e Nissan, que terão a função de escolher 40 condutores. Os outros dez serão indicados pela Prefeitura da cidade.

Entre os indicados está a secretária de Esportes do munícipio, Maria Cristina Borges Madeiral Netto, Tute, que foi apontada por uma amiga. "Eu já enviei toda a documentação para o comitê e vou aguardar a confirmação deles", afirma.

Assim como Tute, outras pessoas também foram indicadas e têm suas histórias registradas no site dos patrocinadores do evento. E nem todos os envolvidos têm alguma ligação com o esporte, como é o caso da prudentina Suely Zambelli Souza. Seu nome foi sugerido por Dani Bessa, que diz que "Suely é ícone da solidariedade na cidade, mantém com amor e compromisso as obras iniciadas por sua mãe, Amélia Zambelli".

Já Carolina Nunes Gamba, inscreveu o irmão Daniel Nunes Gamba, vítima de uma bala perdida na cabeça, quando tinha sete anos. "Daniel ficou com todo o lado direito do corpo paralisado. Com muito sacrifício conseguiu se tornar um para-atleta, mas infelizmente sua atuação durou pouco tempo, pois começou a ter convulsões por causa do acidente e o médico teve que proibir seu treinamento pesado para as competições", conta Carolina.

Com a apresentação de um aplicativo intitulado APP Game, que tem a função de controlar robôs, um dos indicados para a condução da tocha é o professor do curso de Sistemas de Informação da Toledo Prudente Centro Universitário, Eli Candido Junior, candidato considerado pela campanha da Nissan como "um brasileiro que se atreve".

Confiante em ser um dos escolhidos oficialmente, Eli explica que o projeto foi indicado por ser caracterizado "uma inovação". A iniciativa é de 2013, realizada por meio do Laboratório de Apoio Pedagógico, e tem por base o desenvolvimento de robôs e aplicativos que permitem um jogo de futebol.

O professor ainda acrescenta que este é um reconhecimento em nível mundial, tendo em vista a grandiosidade do evento. "Foi uma surpresa ainda maior, por este ser apenas o segundo ano do projeto", conclui.

 

Expectativa


O velocista Bruno Lins Tenório de Barros é um dos principais nomes do atletismo nacional e da equipe Fundacte/Centro de Excelência/Semepp e, apesar de achar difícil ser escolhido, garante que se sentiria honrado em carregar o símbolo olímpico. "Eu acho que Prudente tem grandes nomes, com uma história muito bacana para carregar a tocha. Entre eles, André Domingos e Claudinei Quirino, que são medalhistas olímpicos, além da carateca Valéria Kumizaki, entre outros. Mas caso eu seja escolhido, seria uma imensa felicidade e eu teria um grande prazer em fazer", pontua.

De férias depois de uma temporada intensa, com várias competições importantes, Bruno projeta 2016, que será um ano atípico, de Olímpiadas que vão ocorrer "dentro de casa", no Rio de Janeiro. "Quero voltar com força total para conquistar o objetivo nos Jogos Olímpicos", diz.

Recentemente, Bruno que é terceiro sargento do exército esteve em Mungyeong, na Coreia do Sul, para a disputa dos Jogos Mundiais Militares, onde competiu em três provas, ficando em quarto nos 200 metros, e quinto nos 100 m. Mesma classificação do revezamento 4x100 m.

Veja também