Ivermectina: relação com a Covid-19

Infectologista alerta sobre o uso, que atualmente não é aprovado por estudos sérios; farmácias registram alta procura e até esgotamento do produto

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 09/07/2020
Horário 08:33
Pexels: Uso de medicamentos deve ser feito somente com prescrição médica Foto: Pexels: Uso de medicamentos deve ser feito somente com prescrição médica

No site da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) está esclarecido que o uso da ivermectina é um medicamento da classe dos antiparasitários, indicado para o tratamento de várias condições causadas por vermes ou parasitas. Porém, nos últimos dias, a aplicação do remédio para tratamento da Covid-19 ganhou grande repercussão nas redes sociais, levantando a dúvida sobre a eficácia do produto. Contudo, de acordo com o infectologista André Pirajá, de Presidente Prudente, estudos sérios não aprovam o uso atualmente, em relação à infecção do novo coronavirus.

Atualmente, segundo ele, como se trata de uma doença nova, descobertas são feitas diariamente, através do “melhor que a ciência pode fazer”, que são os estudos. O especialista alerta que é necessário ter cuidado com as informações. Em outros exemplos, ele cita vitaminas e medicações, como a heparina e a hidroxicloroquina, que ganharam a mesma repercussão, mas ainda não tiveram sua eficácia comprovada corretamente.

Mas, especificamente sobre a ivermectina, Pirajá lembra que é um remédio utilizado para tratamento de doenças ocasionadas por vermes ou parasitas. Estudos que são baseados pela SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia) mostram que para verificar uma reação da doença pelo uso do remédio no sistema imunológico, “seriam necessárias doses altíssimas, até mil vezes além do recomendado”. Por isso, o uso não é aprovado, no momento.

E de uma forma “leiga”, e até simples, o infectologista sinaliza que poderíamos analisar o cenário. “Por que somente no Brasil estaríamos usando a ivermeticna? Por que somente no Brasil estaríamos usando essas vitaminas nos tratamentos? Afinal de contas, há outros países no mundo acometidos com isso. Países aonde a ciência chega a ser um pouco mais desenvolvida”, completa.


Mas aí, você pode questionar sobre médicos terem prescrevido o medicamento e terem um bom resultado. Ainda de acordo com Pirajá, isso pode ser um viés de informação, que é um termo técnico utilizado para quem tem a informação e a usa, muitas vezes, num grupo pequeno de pessoas, com estudos não muito sérios.


O que cabe lembrar é que qualquer medicamento só deve ser utilizado após a recomendação de um médico. A automedicação, muitas vezes vista como uma solução para o alívio imediato de alguns sintomas, pode trazer consequências mais graves.

Estoque no fim

Mas, no caso da ivermectina, a compra do remédio pode ser feira em qualquer farmácia, sem prescrição médica. E isso, atrelado aos recentes comentários nas redes sociais que associam a doença ao tratamento da Covid-19 fez com que a busca pela medicação nos estabelecimentos aumentasse. Em alguns casos, em Prudente, houve até esgotamento do estoque.


Para tanto, a reportagem ouviu quatro estabelecimentos espalhados pelos diversos cantos da cidade: Drogaria Santa Clara, no Jardim Santa Clara; Farmácia Santa Catarina, na Cohab; Farmácia Presidente, no Centro; e Drogaria Total no Jardim Prudentino. E em todos, o cenário é o mesmo: alta nas buscas pelo medicamento, sobretudo, desde as últimas duas semanas.


E como ainda não há nenhuma contraindicação na compra e venda pelas autoridades de saúde, como ocorreu com a hidroxicloroquina depois que a busca começou a ser intensa, hoje o remédio é liberado normalmente. Em alguns dos locais, até foi dito à reportagem que outras farmácias e drogarias estão sem o medicamento no estoque.

 


Males que a ivermectina pode causar
De acordo com a Anvisa, as reações adversas são, em geral, de natureza leve e transitória. Durante o tratamento com ivermectina podem ocorrer raramente as seguintes reações: diarreia, náusea, falta de disposição, dor abdominal, falta de apetite, constipação e vômitos. Relacionadas ao sistema Nervoso Central podem ocorrer: tontura, sonolência, vertigem e tremor. As reações epidérmicas incluem: coceira, aparecimento de lesões na pele até urticária.

 

 

Veja também