Materiais e inovação em tempos atípicos

OPINIÃO - Felipe Pires Chaves

Data 24/07/2020
Horário 05:43

Os materiais sempre possuíram uma relação direta com a sociedade. Denominamos eras mais distantes da sociedade a partir dos principais materiais utilizados na época. Com certeza você e eu não estávamos lá, mas os termos “Idade da Pedra” e “Idade do Ferro” são comuns para nós.
Esse papel fundamental dos materiais persiste até os dias atuais. Basta olharmos ao nosso redor nas atividades mais rotineiras, para verificarmos que a evolução dos materiais é visível. Novas tecnologias em diferentes áreas nos indicam isso. Celulares com telas dobráveis, concretos que “se curam” e materiais e processos menos poluentes, são exemplos nítidos.
Em tempos atípicos, como esse de pandemia em que estamos vivendo, esse avanço dos materiais também mostra sua importância. Vemos campanhas sociais e humanitárias de instituições regionais produzindo máscaras por meio de impressoras 3D. Antes, uma tecnologia que se ouvia apenas comentários e que parecia distante, propicia agora a produção local de equipamentos, tornando-se um forte apoio para a linha de frente do combate ao vírus.
Importante destacar os investimentos em tecnologia e inovação, assim como a atuação dos pesquisadores, que possibilitam o desenvolvimento e execução de cada uma dessas ideais. Assim, temos a certeza de que a inovação e os novos materiais continuarão a auxiliar e evoluir a sociedade como um todo. 
Cabe ressaltar que, diante dessa constante inovação, torna-se necessária a aprendizagem contínua dos profissionais, enfatizo aqui os profissionais relacionados às áreas de engenharia e arquitetura e urbanismo. Dessa forma, é importante que se mantenham atualizados às novas práticas, não esquecendo de suas bases, propiciando maior agilidade, desempenho e eficiência em sua atuação.
E que assim sigamos, com a atuação das pessoas mediante o desenvolvimento da ciência e tecnologia, superando os obstáculos que surgirem em tempos típicos ou atípicos.


 

Veja também