O lar cristão

ALINE MARTINS - Da Redação

COLUNA - DA REDAÇÃO

Data 28/07/2021
Horário 05:16

A morada dos justos Ele abençoa. Provérbios 3:33

Como adventistas, gostamos de lembrar que há duas instituições que vieram até nós do Éden: o sábado e o lar. Ambas foram estabelecidas por Deus e, desde que foram introduzidas, Satanás tem procurado destruí-las ou anular a influência delas.

Ele tem usado uma grande quantidade de métodos para fazer isso. A poligamia foi um dos seus primeiros artifícios. Com isso, ao longo dos séculos, o inimigo tem rebaixado e degradado a mulher em muitas civilizações. Assim, a mais importante responsável por modelar o lar tem sido na verdade impedida de fazer sua obra de exaltar as normas que Deus tem para cada família.

No 1° século da nossa era, Deus produziu um novo estímulo para o lar. De uma localidade despretensiosa situada num ignorado recanto do Império Romano veio uma influência que tem afetado a maioria dos lares do mundo e tem transformado milhões de outros.

Quando Edward Gibbon escreveu sua obra monumental, Declínio e Queda do Império Romano, salientou cinco causas que levaram o cristianismo a sobreviver aos césares. Uma das principais razões foi a simplicidade, pureza e beleza da vida familiar cristã. Essas características tiveram origem na manjedoura em Belém e no lar de Jesus em Nazaré.

Satanás jamais relaxou em seus esforços para destruir o lar. Atualmente ele tem inventado métodos modernos para conseguir seu objetivo. Talvez a inovação mais eficaz que encontrou seja convencer praticamente todo mundo de que as normas de ontem não podem ser as mesmas de hoje, pois são obsoletas. Assim, de um só golpe, ele removeu os fundamentos do lar.

Mas a família que fizer a vontade de Deus estará a salvo. As bênçãos do Céu estarão sobre ela, e Satanás não poderá destruí-la.

“A morada dos justos Ele abençoa”, diz nosso texto. “Aqueles a quem o Senhor abençoa possuirão a terra” (Sl 37:22). Assim é que se cumprirá o desejo do Pai de que a Terra se encha com lares edificados segundo o grande padrão do Céu.

Thomas A. Davis, 4/3/1967

Veja também