O Pombo da Discórdia    

O Espadachim, um cronista a favor da troca de favores... no bom sentido

OPINIÃO - Sandro Villar

Data 17/07/2020
Horário 05:34

Tem cada coisa acontecendo no mundo animal de deixar São Francisco de Assis encabulado. No sítio do tio Bastião, que fica perto do Rio do Peixe, quem canta de galo no meio das galinhas é um pombo. Nem o galo índio, que tem fama de briguento, é páreo para o Branquinho, que é como o pessoal do sítio chama o pombo. 
Branquinho mete bronca arrulhando adoidado, parecendo até falcão do Pentágono, e bota o galo para correr, bicando a sua, digamos, região glútea, para não dizer outra coisa. O outro galo, um carijó com uma baita crista, também leva bicadas do pombo. E por ser carijó apanha igualmente do galo índio.
Tudo começou quando as quatro pombinhas do harém, quer dizer, do pombal do Branquinho bateram as asas e foram embora, deixando-o mais sozinho do que político sem mandato, como aconteceu na última eleição. Apesar de abandonado pelas pombas, o pombo não perdeu a pose. 
E continuou empombado, estufando o peito e arrastando a asa literalmente para cima das galinhas. E já começou botando ordem no galinheiro, parecendo até executivo de empresa multinacional. Com seus arrulhos de assustar gavião, Branquinho estabeleceu até o horário para a galinhada dormir. 
Ele dá o exemplo. Antes mesmo de anoitecer é o primeiro a pular para o poleiro. No caso, voa para o poleiro que fica numa árvore no quintal. As galinhas parecem entender o recado do pombo e, uma a uma, se acomodam no poleiro.
Já sei: vocês estão loucos para saber se Branquinho faz "aquilo" com as galinhas, não é mesmo? Bem, tentar o pombo tenta. Entre uma arrulhada e outra, girando em torno das penosas, com jeito de quem tomou absinto, ele dá o bote, apesar de não ser cascavel. 
O pombo trepa (epa!) no dorso (vá lá a palavra) da galinha e se exercita como qualquer ave macho na hora do pega pra capar. É evidente que Branquinho tem as suas preferidas, entre frangas e galinhas. Uma delas é uma galinha preta, provando que o pombo não tem preconceito de cor. E como galinha é mansinha, sô! Aceita até pombo em cima.  
O perigo de nascer uma criatura alada esquisita, tipo pombo-galo ou pomba-galinha, está descartado. Tio Bastião explicou que o "pavio" do pombo é curto demais, não alcançando o "túnel" por onde passam os ovos. Mas tio Bastião, que pensa em chamar o Globo Rural, acha que Branquinho é recompensado. Ele garante que o pombo "faz" em cima das penas das galinhas. 
Por causa do risco de doenças, causadas por pombos, o sitiante não vai trazer novas pombinhas, preferindo arrumar uma galinha garnisé para fazer companhia ao pombo. É que esse tipo de penosa é quase do mesmo tamanho do pombo e, assim, facilitará a "acoplagem", quando Branquinho quiser afogar o ganso.

DROPS

Em terra de cego quem tem cão-guia é rei.

Era um meteorologista tão eficiente que previa tempestade até em copo d’água.

Quando alguém diz "sem comentários" é porque queria fazer "cem comentários".

Estamos todos na mesma roda-gigante? Sei lá...

Sandro Villar é jornalista e radialista; autor do livro “As 100 Melhores Crônicas de Humor de SV” (Editora Alta Books – RJ). E-mail: sandro.villar@hotmail.com
 

Veja também