Publicidade

Paleontólogo revisita terreno que abriga fósseis

Primeiras descobertas em sítio paleontológico, localizado no Parque dos Girassóis, foram feitas há exatos 15 anos; profissional verificou se havia rochas com registros fósseis aflorando

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 29/09/2019
Horário 05:12
Paulo Miguel: William encontrou fósseis de um grupo primitivo de aves em PP Foto: Paulo Miguel: William encontrou fósseis de um grupo primitivo de aves em PP

Quinze anos após a descoberta de fósseis de um grupo primitivo de aves em uma área urbana de Presidente Prudente, o paleontólogo de Marília (SP), William Roberto Nava, retornou à cidade ontem para vasculhar o terreno que conserva em seu solo fragmentos da história do mundo. O especialista aproveitou o convite do Museu Histórico Municipal de Álvares Machado, que pediu a sua ajuda para fazer o reconhecimento de ossos expostos naquele local, para revisitar o sítio paleontológico prudentino, localizado no Parque dos Girassóis. Na ocasião, ele analisou o território para verificar se havia rochas com registros fósseis aflorando.

O espaço atípico para achados dessa natureza evidencia que o trecho, segundo William, abriga vestígios muito importantes para o contexto do continente sul-americano. “Nesses últimos 15 anos, devo ter retirado desta colina mais de dois mil ossos do período cretáceo. Embora pequenos, com cerca de três ou quatro centímetros, são muito relevantes para a compreensão desta época”, explica. Junto a pesquisadores estadunidenses e argentinos, William realizou duas escavações, sendo uma em 2017 e outra em maio deste ano. “Nas duas ocasiões, coletamos quantidades significativas, indicando que esse grupo primitivo de aves viveu na região juntamente com os dinossauros há 70 milhões de anos”, comenta.

William explica que ossos aqui encontrados contribuem para o entendimento de como as aves em questão evoluíram, como adquiriram a capacidade de voar e por que esse grupo específico desapareceu junto com os dinossauros. Tal oportunidade só foi possível graças ao olhar curioso de William, que coloca Prudente no seu itinerário desde 2000, quando fez escavações às margens do perímetro urbano da Rodovia Raposo Tavares (SP-270). Concluídos os trabalhos, ele decidiu seguir para uma parte mais alta da cidade, especificamente nas imediações do Parque dos Girassóis. “Quando fiz o contorno até esse terreno, avistei um barranco com vários ossos de aves despontando nas rochas, os quais só identifiquei alguns meses depois por meio de literatura científica”, relembra.

O fato destes achados urbanos serem raros faz com que William defenda o tombamento do sítio paleontológico, a fim de preservar o espaço para futuras pesquisas. “Se tivesse havido uma construção aqui, todos esses elementos nunca poderiam ser notados, por isso é fundamental conservá-lo para o presente e para o futuro”, pontua.

 

 

Veja também