Presépio

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 15/12/2019
Horário 04:45

O papa Francisco foi ao Santuário do Presépio em Gréccio para assinar a Carta Apostólica “Admirabile Signum” (Sinal Admirável) sobre o significado e o valor do presépio (1/12/2019). Para o santo padre, o presépio é um sinal maravilhoso muito amado pelo povo cristão e que suscita maravilha e enlevo. A representação do Natal de Jesus equivale a anunciar, com simplicidade e alegria, o mistério da encarnação do Filho de Deus. “O presépio é como um Evangelho vivo”, ao contemplá-lo “somos convidados a colocar-nos espiritualmente a caminho, atraídos pela humildade d’Aquele que se fez homem a fim de se encontrar com todo o homem”.

Quero “apoiar a tradição bonita das nossas famílias prepararem o presépio”, que é um “exercício de imaginação criativa”. Também “almejo que esta prática nunca desapareça” e nalguns lugares “se possa redescobrir e revitalizar”, escreve Francisco. A origem do presépio estaria ligada a pormenores evangélicos. Maria “deu à luz seu filho primogênito, e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o numa manjedoura; porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lc 2,7). Jesus é colocado numa manjedoura que em latim se diz “praesepium”, donde vem a palavra presépio.

Mas o presépio como o entendemos é de origem franciscana. Aconteceu em Gréccio, a pedido de São Francisco de Assis, 15 dias antes do Natal de 1223. Nessa ocasião, não havia figuras, além da “manjedoura com palha, o boi e o burro”. Por limitação do espaço, recomendo a leitura da carta do papa na qual destaca a simplicidade do presépio e a eloquência das figuras que o compõem. A contemplação da representação natalina estimula ternura, desperta alegria, e simplicidade que provoca e transmite a fé, especialmente de avós e pais para netos e filhos. As crianças – mas não só – se encantam com a cena natalina e se envolvem na história da salvação.

Deus gera “perplexidade”, pois “é imprevisível”. Assim, o presépio “desafia-nos a imaginar a nossa vida inserida na de Deus; convida a tornar-nos seus discípulos, se quisermos alcançar o sentido último da vida”. O importante num presépio – para o papa – é que “fale à nossa vida”, não importando a sua forma – que pode variar. Armemos o presépio, contemplemos o grande amor com que Deus nos amou. Na noite do mundo, Ele se fez presente entre nós. “Deixemos que do encanto nasça uma prece humilde”: obrigado, Senhor!

Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!

 

 

 

 

 

 

Veja também