Publicidade

Professora Nani, do vôlei, é homenageada pela Semepp

Desde 2004, ela tem trabalhado em projetos da terceira idade ao lado dos professores Edvaldo Benedito de Brito, o Dito, e o Jaime Batista de Deus

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 22/08/2020
Horário 07:23
Cedida - Nani com os amigos Dito, Jaime e atletas do time da Semepp Foto: Cedida - Nani com os amigos Dito, Jaime e atletas do time da Semepp

Ter nosso trabalho valorizado é algo que faz um bem danado pra gente não é mesmo? Não se trata de confetes, mas o sentimento é de gratidão pelo reconhecimento. E hoje, a mãe de Beatriz Zamberlan Zambrini, a professora Eliani Zamberlan, afetuosamente conhecida como Nani, é a profissional lembrada carinhosamente pela Semepp (Secretaria Municipal de Esportes de Presidente Prudente), no Memória Esportiva. Desde 2004, ela tem trabalhado em projetos da terceira idade ao lado dos professores Edvaldo Benedito de Brito, o Dito, e o Jaime Batista de Deus. 
Formada em Educação Física pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) em 1983, Nani começou sua carreira como atleta de voleibol  na extinta Amepp (Autarquia Municipal de Esportes), e no mesmo período, também comandava uma escolinha da modalidade.
“Em toda minha carreira, me dediquei ao voleibol. Eu comecei a jogar com 10 anos de idade nas escolinhas da Amepp. O meu técnico [que mora hoje em Londrina-PR] era o Paulo Vicente Viana, por quem tenho um enorme carinho e admiração por sua competência na formação de atletas”, lembra Nani.

“EM TODA MINHA CARREIRA, ME DEDIQUEI AO VOLEIBOL. EU COMECEI A JOGAR COM 10 ANOS DE IDADE NAS ESCOLINHAS DA AMEPP”
Eliani Zamberlan

Aos 13 anos, ela conta que já acompanhava a equipe adulta de Prudente. Foi convidada a jogar no primeiro time profissional de São Paulo. Participava do time juvenil e adulto, Lufkin de Sorocaba. Foi campeã do Jogos Abertos, em Santo André. “Me lembro que foi dentro de um campo de futebol aberto. Usaram a mesma quadra em que ocorreu o jogo Brasil e Rússia!”, recorda.
Depois ela foi para a categoria juvenil, disputando o Campeonato Paulista. E no adulto, Paulista e Brasileiro. Em 87, jogou em Guarulhos; 89, em Araçatuba; 90, voltou para Prudente. “Em 1991, voltei a jogar pelo município e ser professora das escolinhas [um trabalho maravilhoso da cidade] de voleibol feminino seguindo em 94 após passar no concurso público. Fui a técnica da parceria com o projeto Futuro do Sesi  2, categoria  de 10 a 13 anos, categoria A [14 e 15 anos] e categoria B, sendo campeã do Estado de São Paulo, em ambas, por vários anos”, frisa.
Nani aproveita o espaço para dar um conselho às pessoas de que tudo o que fizerem na vida que façam com determinação e amor. “Em tudo o que fazemos, trabalho + determinação = sucesso. Não posso deixar de mencionar também que sou muito grata, respeito e admiro demais a professora Rosa Junqueira, que foi uma parceira por muitos anos de Semepp. Merecidamente hoje ela já está aposentada pela Prefeitura. Não mora mais na cidade. Por isso sinto muitas saudades”, cita Nani. (Colaboração Marcos Chicalé)

Fotos: Cedidas

Professora e sua filha Beatriz Zamberlan Zambrini


Ela, que começou a jogar vôlei ainda criança, ensina agora as “meninas da melhor idade”

Veja também