Rede Feminina de Combate ao Câncer anuncia extinção

PRUDENTE - Estevão Salomão

Data 21/04/2016
Horário 10:04
Após 35 anos de trabalhos voltados a pacientes oncológicos da cidade e região, chegando a oferecer estadia a 20 pessoas diariamente, a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Presidente Prudente comunica sua extinção no município. De acordo com presidente Jandira Benguela Moreira, 74 anos, a decisão foi tomada por conta do número de voluntários, que já "não suportava a demanda de atendimentos". No entanto, as atividades serão assumidas pela AAPC (Associação de Apoio ao Portador de Câncer de Presidente Prudente).

Jornal O Imparcial Atividades foram assumidas pela AAPC, localizada na Avenida Coronel José Soares Marcondes

Conforme Jandira, a sede da rede, bem como os cadastros e todas as funções desempenhadas, continuarão em exercício pela AAPC, localizada na Avenida Coronel José Soares Marcondes, 2.380. Sobre os motivos que levaram ao desligamento da entidade, Jandira informa que com o passar do tempo os voluntários foram atingindo "uma certa idade" e deixaram de desempenhar os papéis. Desta maneira, não havia condições administrativas para a continuidade. "Mesmo assim vou acompanhar esta nova etapa, mas como voluntária", diz.

O presidente da AAPC, Artur Baratella, 60 anos, esclarece que com a junção dos serviços, a associação passa a atender 30 pessoas diariamente, divididas entre crianças, adultos e idosos de baixa renda, com suporte técnico e assistencial às pessoas atendidas "em todos os centros especializados ao câncer da região". No ambiente, elas recebem refeições, além de todo apoio psicossocial. O próximo passo, segundo Artur, é a ampliação do prédio que, conforme o novo projeto, - ainda sem data prevista -, passará a ter mais 72 leitos.

Veja também