Resíduos destinados por municípios da região geram 200 toneladas de combustível

Materiais enviados por Caiabu, Martinópolis, Pirapozinho e Prudente se transformaram em produto que vai abastecer caldeiras industriais

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 05/08/2021
Horário 15:05
Foto: Transforma Energia
Empresa auxilia no
Empresa auxilia no

Destinação correta, reaproveitamento e auxílio a municípios na gestão de resíduos. Por meio de três frentes, a Transforma Energia já produziu 200 toneladas de combustível com alto poder calorífico para o emprego em caldeiras industriais ao receber materiais de quatro cidades da região de Presidente Prudente - Caiabu, MartinópolisPirapozinho e Prudente -, que sofriam com a falta de opção e depósitos lotados.

Recentemente, foi firmado um termo de cooperação com a Prefeitura de Prudente para o recebimento de galhos e restos de podas de árvores, além de resíduos da construção civil.

"A intenção era abrir uma aproximação com o município, pois vemos os grandes desafios que Prudente enfrenta na busca de soluções rápidas na gestão de resíduos. Desta forma, foi realizado um termo de cooperação entre as partes para que pudéssemos receber resíduos de grandes volumes e ajudar a Prefeitura a limpar o depósito de poda, como também retirar resíduos da construção civil armazenados no aterro sanitário", explica o diretor-presidente da Transforma Energia, Felipe Barroso.

Alívio imediato

O titular da Semea (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) de Prudente, Fernando Luizari, revela que a parceria gerou "alívio imediato" no depósito municipal. "Para a cidade, essa parceria gerou alívio no depósito de galhos. O lugar já estava com problema de acúmulo, inclusive com risco de queima indevida por parte de algum vândalo", frisa. 

"Agora, todos esses resíduos serão transformados em energia limpa e renovável. Hoje, a Transforma Energia se apresenta como solução para os problemas de descartes irregulares. Outras parcerias com a empresa, como no caso de RCCs [resíduos de construção civil], devem ser firmadas", adianta.

Volume que impressiona

Segundo o analista comercial da empresa, Matheus Naoto Archangelo, a parceria com a Secretaria de Meio Ambiente de Prudente resultou no envio de 54.770 quilos de resíduos, totalizando 11 viagens.

"Os RGVs [resíduos de grandes volumes], principalmente provenientes de podas, foram processados e triturados na nossa planta. O resultado foi a produção de CDR [combustível derivado de resíduos], que é o nosso produto para a venda no emprego em caldeiras", explica.

Já na planta de RCCs, segue em processamento a outra parte do material. "Lá, é primeiramente peneirado para separação dos diversos tipos de materiais. Em seguida, é realizado o processamento para que tenhamos um produto que possa ser novamente utilizado na construção civil de outras formas", cita.

"A ideia é que possamos firmar novas parcerias com o município, colaborando no esvaziamento do depósito de podas, além de ajudar no encerramento do aterro, por meio de novos termos de cooperação", adianta Felipe Barroso.

Além de Prudente, as cidades de Caiabu, Pirapozinho e Martinópolis também firmaram acordos de cooperação nos mesmos moldes. "No caso dessas três cidades, a parceria foi importante para os testes iniciais nas plantas industriais", pontua Matheus Archangelo.

Plantas em operação

Atualmente, a Transforma Energia - sediada em Caiabu - conta com duas plantas industriais em operação comercial: RGVs, com capacidade de processar 20 toneladas de resíduos por hora, e a de RCCs, com capacidade de processar 75 toneladas por hora.

A empresa conta com licenciamento da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e está apta a participar de licitações e chamamentos públicos nestas duas modalidades.

Paralelamente, realiza a construção de uma estação de transbordo com capacidade para receber 480 toneladas por dia. Com o licenciamento já em andamento, o serviço poderá ser contratado por prefeituras nos próximos meses.

Em meados de 2022, entrará em operação a planta industrial de RRSU (recebimento de resíduos sólidos urbanos), que contará com dois aterros e capacidade de 700 toneladas por dia.

Veja também