Seguir adiante!

OPINIÃO - Walter Roque Gonçalves

Data 10/04/2021
Horário 04:30

Estamos enfrentando grandes incertezas no meio político, econômico e na saúde pública. O ambiente político está ainda mais polarizado. O econômico enfrenta dificuldades e na saúde milhares de vidas são perdidas todos os dias. Neste contexto, o termo “tratamento precoce” virou sinônimo de apoio a este ou aquele político, o termo foi endemonizado e gerou uma caça às bruxas aos médicos que fazem o óbvio: tratar a doença no início. No meio do tiroteio, estão milhares de pessoas desempregadas que precisam empreender por necessidade, para sobreviver.
As crises aguçam a criatividade e o sentido de sobrevivência, mecanismos internos de sobrevivência são ativados e com isto a força, resiliência e esperança são potencializadas. O fato é que diante das dificuldades, as necessidades não desaparecem, pelo contrário podem até aumentar. É neste momento que se percebe o único caminho que vale a pena: o de seguir em frente. Para aqueles que não têm o que comer, há campanhas gigantescas no país para levar o alimento, de quem pode doar, para aqueles que precisam. E, da massa de desempregados, estão também aqueles que começaram a empreender por necessidade.

No meio do tiroteio, estão milhares de pessoas desempregadas que precisam empreender por necessidade, para sobreviver

Segundo a Forbes.com.br, no artigo “13 negócios que surgiram durante a crise de Covid-19” de julho de 2020, existem negócios se destacando nesta fase de pandemia: como a do engenheiro de sistemas, Jorge Luis, que abriu empresa de entregas de iguarias salgadas e recheios diversificados; ou o Surpreenda Delivery, que oferece cestas para café da manhã, vinhos e outros presentes. E, ainda, a Felejo, que vende pães italianos. Dentre outros como hamburguerias com destaque para os artesanais; cuidado com plantas; o design de interiores; e pequenos consertos.
Para estes negócios que se iniciam, é importante lembrar de alguns fundamentos básicos de todo empreendimento: custos, precificação, ponto de equilíbrio da empresa, estoque, legislação, liderança, qualidade, atendimento e vendas, concorrência e comportamento do consumidor. Empreender por necessidade é a grande realidade neste momento e reduzir os riscos através da gestão é imprescindível. Diante deste cenário de guerra, é como diz o filósofo Mário Sérgio Cortella “ou senta e chora, ou se levanta e enfrenta”. É hora de enxugar as lágrimas e seguir adiante!

 

Veja também