Tiro de Guerra realiza seleção geral

Dos 1,5 mil adolescentes que se alistaram, cerca de 650 restaram para a segunda fase, da qual passarão aproximadamente 500 jovens

PRUDENTE - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 06/08/2019
Horário 06:03
Marco Vinicius Ropelli - Seleção geral começou ontem e segue até dia 13 de agosto no Tiro de Guerra de PP
Marco Vinicius Ropelli - Seleção geral começou ontem e segue até dia 13 de agosto no Tiro de Guerra de PP

Os jovens que realizaram o alistamento militar neste ano e que continuam no processo seletivo participam de ontem até dia 13 de agosto da fase de seleção geral, que representa a segunda, de cinco fases que compõem o processo de seleção dos que se tornarão soldados do Tiro de Guerra de Presidente Prudente. De acordo com o primeiro tenente Vicente Majela de Sousa, de 50 anos, “nessa etapa o pessoal passa por exame médico, entrevistas, testes físicos, ou seja, nós tiramos subsídios para justamente selecionar, dentro de nossa visão, os melhores para servir ao Tiro de Guerra”, relata.

Ainda segundo o primeiro tenente Majela, dos 1,5 mil adolescentes que se alistaram, cerca de 650 restaram para a segunda fase, da qual passarão aproximadamente 500 jovens. O militar afirma que a seleção se deve principalmente a grande quantidade de alistados em detrimento do número reduzido de vagas. Majela deixa claro que não há inferioridade no cidadão que não é selecionado para servir o Exército, o que normalmente ocorre com jovens que apresentem algum problema de saúde, ou que possuam algumas situações particulares que os impediriam ou tornaria o serviço militar não conveniente, como serem casados ou já terem filhos. “Esse cidadão é dispensado, mas isso não o torna inferior”, pontua o primeiro tenente.

O estudante de Direito Felipe Zambrano Coutini, de 17 anos, afirma que espera ser selecionado para as demais fases, especialmente pelo desejo de seguir o caminho traçado por referências familiares. “Vai ser uma honra se eu conseguir passar as fases e servir o Exército, porque meu pai e meus tios serviram e queria seguir os passos deles”, enfatiza o jovem. A história dele é um pouco diferente da do estudante de engenharia Matheus Araújo, de 17 anos, que se disse surpreso de ter sido selecionado para participar da seleção geral. Matheus reitera, todavia, que está disposto à colaborar com as forças armadas. “Se eu for selecionado, estarei pronto, se for pra ser, vamos até o final”, afirma o rapaz.

Fases

O primeiro tenente contou ser comum a dúvida do jovem alistado de como funciona o período de seleções. Ele explica de maneira simples como são as fases. A etapa inicial é o alistamento, no qual cerca de 1,5 mil jovens se inscreveram. A segunda fase é a que está ocorrendo, quando em média 650 estão participando. A terceira fase é realizada pelo sistema do Exército, uma seleção que o departamento prudentino não possui controle. A quarta fase é denominada seleção complementar, que conduzirá cerca de 100 jovens à etapa final, a de integração, quando eles já iniciarão os trabalhos no Tiro de Guerra. A previsão é que o inicio dos trabalhos ocorra apenas no próximo ano.

Patriotismo

O representante do Tiro de Guerra explica ainda os ganhos do cidadão, Exército e município com a formação destes jovens soldados. “É uma vantagem para o cidadão, é o momento de ele demonstrar seu patriotismo, sua cidadania, e para o Exército e município é um ganho. O cidadão demonstra seu valor e conhecimentos, como o jovem que presta o serviço militar no Tiro de Guerra, ele tem um crescimento muito grande da parte militar e terá a oportunidade de prestar serviços comunitários para a cidade, campanhas do agasalho, campanha de arrecadação de alimentos”, conclui Majela.

Veja também