TJ-SP alerta sobre golpes que utilizam nome de banco

Instituições financeiras reforçam que nenhuma atualização de dados (ou de acesso) é solicitada por e-mail, mensagens de texto ou aplicativos de mensagens

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 29/04/2020
Horário 12:00
Abr - Uma das táticas usadas pelos golpistas é o envio de mensagens via SMS, por meio de números desconhecidos
Abr - Uma das táticas usadas pelos golpistas é o envio de mensagens via SMS, por meio de números desconhecidos

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) alerta para falsos e-mails e mensagens de texto enviados a clientes de bancos com o objetivo de roubar senhas de acesso ao induzir o correntista a erro. As instituições financeiras reforçam que nenhuma atualização de dados (ou de acesso) é solicitada por e-mail, mensagens de texto ou aplicativos de mensagens.

Caso receba contatos suspeitos, o correntista deve se informar pelos canais oficiais das instituições financeiras. Três são os bancos que detém as contas dos magistrados e servidores do TJ-SP. Fique atento e verifique as dicas de segurança que se encontram nos sites dessas instituições:

                Banco do Brasil: https://www.bb.com.br/pbb/pagina-inicial/bb-seguranca/dicas-de-seguranca#/

                Bradesco: https://www.bradescoseguranca.com.br/html/seguranca_corporativa/pf/index.shtm

                Santander: https://www.santander.com.br/institucional-santander/seguranca

 

Há informações, também, no site da Febraban (https://portal.febraban.org.br/pagina/3065/77/pt-br/internet-com-seguranca). Todas essas instituições financeiras dão boas dicas de segurança para evitar que os clientes caiam em golpes das mais diversas espécies.

GOLPES MAIS

COMUNS 

Uma das táticas usadas pelos golpistas é o envio de mensagens via SMS, por meio de números desconhecidos. Elas dizem ao usuário que seu acesso está com bloqueio parcial, enquanto outras o alertam para que evite o bloqueio de sua conta.

O que há em comum nas mensagens é o link de acesso à suposta página da instituição financeira para que o acesso seja liberado. Ao clicar no endereço, o correntista acessa um site falso, similar ao do banco, onde dados são solicitados e, se preenchidos, senhas e também quantias em dinheiro podem ser roubados.

A mesma armadilha é repetida pelo envio de e-mails. A mensagem informa ao cliente que o cadastro no Internet Banking expirou em determinada data e, por questões de segurança, é necessário reativar o dispositivo. Mais uma vez, a mensagem disponibiliza um endereço eletrônico que redireciona o usuário à página falsa, principal isca do golpe.

Veja também