Um brinde à hipocrisia

OPINIÃO - Matheus Teixeira

Data 09/03/2021
Horário 06:32

Só eu sinto que boa parte da sociedade e dos governantes continua tomando atitudes estupidamente equivocadas para exterminar a pandemia? É impossível que, após um ano inteiro apocalíptico, haja alguém desavisado sobre as formas de proteção. São mais de 265 mil brasileiros mortos, hospitais abarrotados e uma vacinação lentíssima, com casos de falsa imunização e de espertinhos fura-filas.
Todos sabem que há um vírus mortal rodeando os humanos. No entanto, muita gente continua “curtindo a vida” e se dando o direito de perambular por aí sem máscara. As festas clandestinas, repudiáveis, é claro, viraram bode expiatório. Não são apenas elas que espalham o novo coronavírus, porém também as “menores” atitudes errôneas, como aquele gestor que promove reuniões lotadas e o jovem inconsequente que vai juntando a galera e abraçando para postar no Instagram.
Em dezembro do terrível 2020, quando muitos sonhavam que 2021 seria o ano da esperança, eu dizia: “Não será, porque será pior do que 2020”. Entendo que sou realista ao afirmar que, infelizmente, eu tinha razão. Com o perdão da palavra, sei que todos estão de “saco cheio”; o problema é o que cada um faz com esse seu cansaço. Enquanto uma minoria permanece, mesmo cansada, em isolamento, usando máscara, passando álcool em gel, praticando o distanciamento social quando possível e indo apenas a serviços essenciais, a maioria vive como se não houvesse amanhã, gozando de um prazer egoico, afinal pensa que isso é sinônimo de liberdade, benéfico a sua saúde mental podre.
O que mais me indigna é que muitos civis que ousam em desafiar o vírus teimam em criticar ferozmente o político A ou B. Não se olham no espelho para se dar conta de que têm atitudes semelhantes, de menosprezar o potencial maléfico da pandemia e disseminar maldade? Aos hipócritas, um brinde! Ser negacionista não é só característica de quem está no poder público. Os que organizam e vão a “pancadões” são tão negacionistas quanto qualquer um que compactua com esquemas fraudulentos e genocidas. Quem de propósito aglomera diante deste cenário mundialmente catastrófico é mau-caráter e capaz de fazer qualquer coisa sombria, nefasta e inescrupulosa. Jamais duvide disso!
Não sei você, caso leitor, mas perdi o pequeno fio de esperança que eu tinha. Se antes da pandemia o mundo já estava de ponta-cabeça, com desigualdades em vários aspectos, especialmente o social, agora o planeta está de ponta-cabeça e do avesso. Quisera eu ser o perseverance e estar em paz e saudável em Marte! Como estou na Terra e ainda não consigo sair dela, desejo (com o pouco de empatia que ainda me resta) às pessoas más – que deliberadamente vilipendiam a saúde do próximo – que não tenham que em breve clamar por respiradores nem derrubar lágrimas em velórios.
 

Veja também