Quarentena heterogênea é vista com bons olhos

Representantes regionais e setores socioeconômicos entendem que medida podia ter sido adotada antes, com ações distintas a cada região

REGIÃO - THIAGO MORELLO

Data 28/05/2020
Horário 04:15
Weverson Nascimento - Comércio será reaberto na segunda-feira, com medidas de higiene e segurança Foto: Weverson Nascimento - Comércio será reaberto na segunda-feira, com medidas de higiene e segurança

A partir do dia 1º de junho, a quarentena no território paulista ocorrerá de forma heterogênea, isto é, diferente para cada DRS (Departamento Regional de Saúde) do Estado, conforme anúncio feito pelo governador João Doria (PSDB), ontem. A distinção abriu uma maior flexibilização para a região de Presidente Prudente, com uma maior retomada gradativa das atividades econômicas. Para os representantes regionais, a medida é vista com bons olhos, mas poderia ter sido adotada antes.

O presidente da Unipontal (União dos Municípios do Pontal do Paranapanema) e prefeito de Presidente Venceslau, Jorge Duran Gonçalez (PSD), entende que o plano de flexibilização anunciado pelo governo estadual vai ao encontro das reivindicações feitas pela entidade. “Há muito tempo estamos debatendo e cobrando essa moderação com base na realidade das regiões do Estado, para que houvesse a retomada da atividade econômica”, afirma.

Ele ainda lembra que os prefeitos poderão fazer flexibilizações, o que era outra reivindicação, “já que quem conhece os municípios” são eles, que sabem as necessidades de sua população e estão aptos para, da melhor forma possível, contingenciar o coronavírus. “Agora é retomar o desenvolvimento econômico com todas as precauções necessárias, como acompanhamento dos casos, fazendo testagem, mantendo o controle dos leitos hospitalares de atendimento aos pacientes”, pontua Duran.

REABERTURA

AGUARDADA

Na maior cidade do oeste paulista, Prudente, o setor do comércio vibrou com a reabertura, que já era esperada há pelo menos um mês. Conforme Vitalino Crellis, presidente do Sincomércio (Sindicato do Comércio Varejista de Presidente Prudente e Região), o primeiro momento será para o comerciante entrosar novamente, “já que todos estão apertados”. Para que os lojistas tenham um “respirar”, ainda vai demorar um mês mais ou menos, segundo ele, caso as restrições não retornem.

E para que isso não ocorra, ele diz que as lojas seguirão à risca as recomendações, pensando aí na higienização, medidas de distanciamento e em evitar aglomeração, para não se prejudicarem. “Mas a sociedade também é importante nisso, evitando sair de casa sem necessidade, não juntando a família toda para fazer uma simples compra no mercado, por exemplo, e usando máscaras. Quando não fazem isso, também prejudicam a gente”, diz.

A indústria também deve ser beneficiada com a retomada. Para Itamar Alves de Oliveira Junior, atual diretor-regional do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), esse é o primeiro passo para uma longa caminhada. “Vai demorar muito para ser o que era antes”, pontua. E complementa, com uma crítica, dizendo que “o estrago feito é imenso” e o governo deveria ter adotado isso antes. “Foi um equívoco tratar o Estado todo igualmente”, lamenta.

Publicidade
eixosp

Veja também