A ciência e o insondável

OPINIÃO - Arlette Piai

Data 05/05/2020
Horário 04:15

As religiões existem desde o início da história da humanidade, mas o mundo hoje mergulhado na farta tecnologia conduziu ao ceticismo, e tem levado a humanidade à deriva como um barco ao sabor dos ventos. A religião com crenças relacionadas ao metafísico, transcendental ou ao divino, como se queira chamar, vem perdendo seu espaço.

Esse fato iniciou no século XVIII com o “Positivismo” que, por um lado, teve o grande mérito de valorizar a razão e libertar a humanidade da opressão do clero da época medieval, mas polarizou: caindo no extremo oposto ao julgar a razão como único instrumento que dá sentido à vida e pode levar a um mundo maravilho. Essa crença desmoronou no século XX com as duas grandes guerras mundiais, trilhões de vezes pior que o coronavírus. Depois, a exclusividade da razão conduziu ao “salve-se quem puder” e conduziu o mundo ao que hoje estamos vivendo. 

Um vírus invisível manda no mundo: fecha todos dentro de casa, quebra a União Europeia e fará nascer uma nova ordem mundial

Curioso, leitor, é que os gênios vêm ao mundo “de penca”. A última ocorreu no final do século XIX e início do século XX, com Niels Bohr, Heisenberg, Albert Einstein, Max Plank, Nikola Tesla, entre outros que provaram o contrário que afirmou o Iluminismo: “O essencial da vida é invisível aos olhos, aos microscópios, aos telescópios e inexplicável pela razão”. O mundo está bom? Nós o fizemos assim com nossas ações e valores éticos. Está ruim? Nós o fizemos assim com nossos valores individualistas, materialistas e céticos. Está óbvio que a ciência é maravilhosa e pode muito, mas não pode tudo. Ninguém pode tudo, nem quem se considera “rei”, né leitor?

Hoje grandes cientistas têm a humildade de declarar incertezas e aceitar o insondável mistério da vida. Esses representantes da física moderna declaram que sequer sabem onde se encontram os átomos - tijolos de que tudo é feito. Um pouco de humildade é lindo, né leitor? Um vírus invisível manda no mundo: fecha todos dentro de casa, quebra a União Europeia, une e desune, e fará nascer uma nova ordem mundial que não sabemos qual será.  Quem sabe, analisando o que declarou Einstein, possamos encontrar um pontinho de luz: “A ciência sem a religião é manca; a religião sem a ciência é cega".

 

 

 

 

Veja também