A Fraternidade é Samaritana! 

  • 28/02/2020 05:00
  • Patriky Samuel Batista

O tempo quaresmal nos oferece uma oportunidade singular de conversão que tem como pressuposto o amor. Iluminados pela Palavra de Deus, fortalecidos pelos sacramentos e irmanados na vida comunitária percorremos um caminho de oração, partilha, intimidade e solidariedade fraterna. Um verdadeiro retiro espiritual que nos prepara para a Páscoa do Senhor oferecendo a Ele o melhor de nós: uma vida reconciliada e pacificada no amor. 

Há mais de cinco décadas, a Campanha da Fraternidade apresenta-se como um modo de viver o período quaresmal na Igreja, no Brasil, prestando atenção uns aos outros e nos comprometendo com a edificação do amor que faz nascer as boas obras da fé. Em 2020, avançamos nesse caminho inspirados pelo tema: “Fraternidade e vida: Dom e Compromisso.” A vida é dom de Deus que devemos cultivar e também um compromisso que devemos assumir. 

Desde a concepção e passando por todas as etapas de existência, a vida deve ser promovida e protegida, buscando sempre o horizonte da eternidade sem tirar os pés do chão e ofertando um coração fraterno ao irmão. E como trilhar esse caminho? Agindo como bom samaritano. Ele é a grande inspiração e modelo para vivermos a quaresma deste ano. 

A figura do Samaritano, apresentada por São Lucas em seu Evangelho (Lc 10,25-37), oferece à Igreja atitudes concretas de amor e conversão. Ele “Viu, sentiu compaixão e cuidou” (Lc 10,33-34). Cuidou daquele que, vítima de violência, foi deixado como que morto à beira do caminho. 

Na parábola do Samaritano, descobrimos que o meu próximo é aquele de quem eu me aproximo para cuidar, com amor e ternura, independente de quem seja a pessoa e em quais condições ela se encontra. Reconhecer o próximo é romper com a indiferença. É ter a capacidade de interromper a própria rotina para se fazer próximo com atitudes concretas: descer da montaria, tocar as feridas, oferecer a própria condução para aquele que não consegue caminhar, contar com a ajuda e o auxílio da hospedaria. Amar com gestos, decisões, agilidade, presença e carinho. 

A cada domingo, professamos nossa fé em comunidade. Nessa oração, dizemos que cremos que o Senhor irá voltar para julgar os vivos e os mortos. Queira Deus que quando o Senhor voltar, Ele que é o Bom Samaritano, encontre-nos cuidando uns dos outros no amor. 

Com olhos fixos em Jesus, a CF 2020 nos convoca a romper com toda e qualquer atitude de indiferença, vencendo o pecado pela graça redentora que nos envia como missionários da vida plena para todos, sobretudo os mais pobres e excluídos, vítimas de uma sociedade marcada profundamente pelos traços de Caim. 

Olhando ao nosso redor, percebemos cada vez mais que a vida se encontra ameaçada e um sinal claro de tal ameaça é o modo de vida da sociedade marcado pela indiferença. Uma sociedade de Caim que traz situações, atitudes e estruturas que se alimentam da indiferença e nutrem o ódio e a aversão. Que propaga e enaltece a cultura do descarte, da morte revelada em ações injustas e desumanas. 

Que a Campanha da Fraternidade nos ajude a ver com os olhos de Deus a realidade que está ao nosso lado. Ver direcionando o nosso olhar para aquele a quem chamamos de irmão e devemos tratá-lo como tal. Que a fé nos ajude a julgar segundo os critérios da compaixão e da justiça condicionados pelo amor a fim de que sejamos promotores de uma nova sociedade na qual a globalização da ternura e do cuidado sejam reais e que comece em nós, em nossos corações convertidos, as mudanças que esperamos no mundo. 

Santa Dulce dos Pobres interceda a Deus por nós a fim de que vivamos a fé cristã com o compromisso de ver, compadecer e cuidar, pois, a fraternidade é samaritana!

ÚLTIMAS DO AUTOR

Patriky Samuel Batista

Patriky Samuel Batista

Patriky Samuel Batista é padre e secretário executivo para Campanhas da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) de Brasília (DF), e escreveu este artigo a pedido da Canção Nova

PUBLICIDADE